Um sonho de 50 anos que vai se tornar realidade

Com uma extensão de 21 km e tráfego médio diário segundo o DER-PB de cerca de 340 veículos entre automóveis, camionetas, ônibus, caminhões e motos, a PB 151, estrada que liga às cidades de Picuí a Nova Floresta no Curimataú paraibano, está prestes a ser pavimentada.

A esperança de um sonho de mais de 50 anos começa a ser alimentada pela população envolvida através da determinação e consequente autorização do governo João Azevedo (PSB).

Toda caminhada começa pelo primeiro passo e o sonho começa a ser concretizado através do anuncio pela Empresa ESSE – Engenharia Sinalização e Serviços do início ainda nesse mês de dezembro de 2019 da tão sonhada obra, com prazo de até 540 dias para sua conclusão, ou seja é possível que até dezembro de 2020 estejamos com um dos maiores patrimônio da região serrana concluído.

A roda não começou agora, e a história não pode ser esquecida pelo egoísmo e ingratidão daqueles que pensam que pode tudo. Não se trata de ressuscitar defuntos, nem tão pouco viver do passado, mas sim de respeitar e reconhecer o trabalho de lideranças regionais que marcaram época e deixaram sua contribuição ao desenvolvimento do Curimataú e Seridó paraibano.

Nesse raciocínio e sem a pretensão de tirar mérito das lideranças atuais, é justo lembrar o início da luta pela pavimentação da estrada em tela, a qual começou com os deputados Antônio Medeiros e Armando Abílio, conforme proposituras arquivadas na Assembleia Legislativa da Paraíba, em seguida abraçada pela deputada Gilma Germano (PPS), e atualmente pelo deputado Buba Germano (PSB), pleito esse sempre reivindicado repetidas vezes por prefeitos, vereadores, dos quais me incluo como liderança e ex-vereador representante da região serrana, entre outras lideranças dos municípios de Picuí e Nova Floresta nos últimos 30 anos.

Não se pode esquecer também do esforço do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), para pavimentar o trecho em tela, o qual deixou toda parte de projeto pronto, porem não foi efetivado em virtude da não liberação do empréstimo da Paraíba junto a bancos internacionais.

A população é sábia e reconhece sua história através da participação e luta de todos, se enganam aqueles que apostam na memória curta do nosso povo. Essa obra não tem dono, os louros com certeza serão contabilizados para nosso governador João Azevedo, que certamente ficará marcado na história política e administrativa da nossa região como um de seus maiores benfeitores.

A região da Serra picuiense privilegiada pelo seu clima europeu deverá ser um ponto turístico com grandes investimentos imobiliários com a instalação de condomínios entre outros.

A PB 151 era conhecida como a “estrada do sisal e do caju” e agora conhecida também como “estrada do maracujá”, por ser responsável pelo escoamento da produção dos produtos agrícolas da zona rural de Picuí e Nova Floresta.

Em 1995 perdemos uma industria de suco de caju instalada na Vila de Santa Luzia do Seridó, pela empresa Incajú, a qual gerava empregos e divisas, por falta dessa abençoada estrada. Com sua conclusão o desenvolvimento, valorização e a alta estima de sua gente voltará a reinar.

O pleito é a principal demanda do Distrito de Santa Luzia do Seridó em Picuí, comunidades adjacentes e municípios vizinhos que vão se beneficiar com a ação.

O ex-governador Burity, construiu o anel asfáltico do Curimataú, Ricardo Coutinho recuperou e ampliou e agora João da sequencia. Como diz os amigos do distrito de Santa Luzia do Seridó, “Obrigado João”  sua palavra, compromisso, simplicidade e determinação ficará marcado para sempre em nossas memórias. Adelante, segue o trabalho!!

Por José Onildo de Negreiros, ex-vereador por quatro legislatura seguidas no município de Picuí, radialista e diretor de programação da Rádio Sisal FM de Picuí.