Um sonho que vai se tornar realidade

Com uma extensão de 24 km e tráfego médio diário segundo o DER-PB de cerca de 340 veículos entre automóveis, camionetas, ônibus, caminhões e motos, a PB 151, estrada que liga às cidades de Picuí a Nova Floresta no Curimataú paraibano, está prestes a ser pavimentada.

A esperança de um sonho de mais de 50 anos começa a ser alimentada pela população envolvida através da determinação e consequente autorização do governo João Azevedo (PSB).

Toda caminhada começa pelo primeiro passo e o sonho começa a ser concretizado através da publicação da Concorrência 01/19 do DER-PB, publicada no Diário Oficial desta quinta-feira 25 de julho. A licitação será realizada no próximo dia 27 de agosto e terá um prazo de 540 dias para sua conclusão, ou seja é possível que até dezembro de 2020 estejamos com um dos maiores patrimônio da região serrana concluído.

A roda não começou agora, e a história não pode ser esquecida pelo egoísmo e ingratidão daqueles que pensam que pode tudo. Não se trata de ressuscitar defuntos, mas sim de reconhecer o trabalho de lideranças regionais que marcaram época e deixaram sua contribuição ao desenvolvimento do Curimataú e Seridó paraibano.

Nesse raciocínio e sem a pretensão de tirar mérito das lideranças atuais, é justo lembrar o início da luta pela pavimentação da estrada em tela, a qual começou com os deputados Antônio Medeiros e Armando Abílio, conforme proposituras arquivadas na Assembleia Legislativa da Paraíba, em seguida abraçada pela deputada Gilma Germano (PPS), e atualmente pelo deputado Buba Germano (PSB), pleito esse sempre reivindicado repetidas vezes por prefeitos, vereadores entre outras lideranças dos municípios de Picuí e Nova Floresta nos últimos 30 anos.

Não se pode esquecer também do esforço do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), para pavimentar o trecho em tela, o qual deixou toda parte de projeto pronto, porem não foi efetivado em virtude da não liberação do empréstimo da Paraíba junto a bancos internacionais.

A população é sábia e reconhece sua história através da participação e luta de todos, se enganam aqueles que apostam na memória curta do nosso povo.

A região da Serra picuiense privilegiada pelo seu clima europeu deverá ser um ponto turístico com grandes investimentos imobiliários com a instalação de condomínios entre outros.

A PB 151 era conhecida como a “estrada do sisal e do caju” e agora conhecida também como “estrada do maracujá”, por ser responsável pelo escoamento da produção dos produtos agrícolas da zona rural de Picuí e Nova Floresta.

Em 1995 perdemos uma industria de suco de caju instalada na Vila de Santa Luzia do Seridó, pela empresa Incajú, a qual gerava empregos e divisas, por falta dessa abençoada estrada. Com sua conclusão o desenvolvimento, valorização e a alta estima de sua gente voltará a reinar.

O pleito é a principal demanda do Distrito de Santa Luzia do Seridó em Picuí, comunidades adjacentes e municípios vizinhos que vão se beneficiar com a ação.

Por José Onildo de Negreiros, ex-vereador por quatro legislatura seguidas no município de Picuí, radialista e diretor de programação da Rádio Sisal FM de Picuí.