Ricardo nega reajuste a poderes e pede que sigam seu exemplo: ‘congelei meu salário’

ricardo alpb“Não existe proposta de reajuste no repasse do duodécimo por não tem dinheiro excedente”, disse o governador Ricardo Coutinho (PSB), ao ser questionado sobre o Orçamento do próximo ano que será administrado pelo governador eleito, João Azevêdo (PSB).

Em entrevista nesta segunda-feira (03), Ricardo destacou que apesar de ter vivenciado a pior crise que o estado já enfrentou, essa foi a época que mais houve aumento nos duodécimos e ressaltou seu exemplo pessoal: “congelei meu salário, da vice e dos secretários por oito anos”, disse.

Para Ricardo, a ideia que o estado é um poço sem fundo e que sempre pode tirar não faz parte da realidade. “Cada um tem que fazer, respeitando as autonomias, e fazer o seu jogo interno. Não posso gastar o que gostaria com o executivo, tive que restringir gastos, fiz isso. Acho que todo mundo tem que fazer, não estou em uma redoma”, disse e acrescentou que se os demais poderes seguissem seu exemplo [de congelar o salário] seria uma “demonstração de respeito enorme com a população”.

O governador também destacou que João não poderá dar aumento, porque mais importante que isso é o equilíbrio do estado. “Sabemos que não podemos gastar mais do que o que se arrecada e não tem recursos infinitos para sempre estar repassando dinheiro”, afirmou.

“Cada um que cuide de colocar os poderes e órgãos do tamanho que a economia da Paraíba necessita”, finalizou.

Marília Domingues/ Fernando Braz