José Nêumanne Pinto aposta em prisão de Ricardo Coutinho até as eleições 2020

O jornalista paraibano José Nêumanne Pinto elogiou hoje o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) e afirmou que o socialista é realmente de esquerda, comparando-o com o ex-presidente Lula (PT) que, para ele, “nunca foi e nunca será de esquerda, Lula é um espertalhão”, disse em entrevista à Rádio Arapuan.

Nêumanne disse que, “fazendo os cálculos”, a Paraíba sofreu com desvios de quase R$ 2 bilhões num esquema de desvio do serviço público do Estado. “Eu vou adiantar para vocês que devo escrever sobre a ligação entre o socialismo e a corrupção, para minha coluna na próxima quarta-feira no Estadão”, afirmou.

Ainda sobre o ex-governador, Nêumanne afirmou que não acredita na candidatura de Ricardo Coutinho para as eleições 2020, “não é possível que a Justiça permita que ele seja candidato a prefeito”, pontuou. “Acredito que ele será preso e solto até as eleições”, destacou.

Sobre a relação da justiça brasileira com os políticos brasileiros, sobretudo no que se refere às acusações contra Lula e à ex-presidente Dilma Rousseff, “a presidente negociava de dentro do Palácio”, disse.

Em relação às eleições 2018, Nêumanne disse que via o presidente Jair Bolsonaro como “o único candidato que não tinha o rabo preso com o Lula, mas o livro da Thaís Oyama diz que ele tinha com o ministro Dias Tóffoli”, disse.

Estendendo ainda mais a análise, Nêumanne disse que acredita na reeleição de Jair Bolsonaro em 2022 e justificou dizendo que “sempre que eu escrevo algo falando mal sobre Bolsonaro, sofro uma queda nos meus seguidores”, disse.

Entretanto, ele disse que, segundo uma pesquisa informal, o público que ganha mensalmente de dois a quatro salários mínimos votaria no ministro Sérgio Moro para presidente em 2022. Sendo, para Nêumanne, o único brasileiro a tirar a reeleição de Bolsonaro.

Veja a entrevista

Redação