Principais Jornais do Brasil neste domingo 18 de agosto

18 de agosto de 2019

O Globo

Manchete : Estatais do saneamento gastam mais com salários do que investem

Folhas consumiram R$ 8,5 bilhões acima do valor das melhorias no sistema

As empresas públicas que dominam o saneamento no país gastaram mais com salários do que com melhorias nos sistemas de água e esgoto nos últimos anos. Levantamento do Ministério da Economia mostra que as despesas com pessoal somaram R$ 68,1 bilhões entre 2010 e 2017, R$ 8,5 bilhões a mais que os investimentos.

Com mais de 100 milhões de brasileiros sem coleta adequada de esgoto, salários consomem fatia crescente das receitas das estatais num setor em que, apesar de o aumento das tarifas ter superado a inflação, indicadores não avançam.

No fim de 2017, a cobertura de esgoto era menor que 50% em 18 dos 25 estados analisados. Já está em discussão no Congresso um novo marco legal para o setor. (Página 37)

Receita alerta Bolsonaro sobre risco de intervir em Itaguaí

A interferência do governo em postos-chave da Receita Federal no Rio, como os do superintendente no estado e do delegado em Itaguaí, abriu crise com o órgão e pode provocar uma renúncia coletiva. A cúpula do Fisco alertou o presidente Bolsonaro sobre o risco de substituição em Itaguaí, unidade cercada pela milícia. (Página 4)Presidente: ‘Vai terveto’ em lei de abuso de autoridade

O presidente Bolsonaro disse que ainda não leu o projeto sobre abuso de autoridade, mas que “vai ter veto”. (Página 6)

Nos insultos presidenciais, o tom só aumenta

58 frases ofensivas

“Daqueles governadores de… ‘paraíba, o pior é o do Maranhão”

Jair Bolsonaro, ao se referir aos governadores do Nordeste em julho (Página 10)

Niterói-Manilha tem 15 esconderijos de bandidos em suas margens

Rota para a Região dos Lagos e áreas de petróleo, trecho de 23 quilômetros ganha reforço de policiamento. (Página 15)

Cargo nos EUA

Parecer vê nepotismo no caso Eduardo (Página 44)

Lauro Jardim

Aécio apela a correligionários contra expulsão (Página 6)Merval Pereira

Crise com a PF dá a Moro novo protagonismo (Página 2)

Dorrit Harazim

O perigo de o Dia da Mentira ser no ano todo (Página 3)

Miriam Leitão

Risco vem do autoritarismo e do populismo (Página 38)

Elio Gaspari

Reflexões sobre a indicação do 03 para embaixada (Página 12)

Editorial

Bolsonaro cria risco amazônico para o agronegócio (Página 2)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Presidente do Senado briga na Justiça para manter sigilo de gastos

Despesas de Davi Alcolumbre e de outros senadores com a cota parlamentar até junho não são divulgadas; Justiça Federal, Ministério Público e TCU questionam

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), briga na Justiça para que sejam mantidas em sigilo as notas fiscais de gastos relacionados à cota parlamentar de senadores até junho. A verba individual varia de R$ 30 mil a R$ 45 mil mensais e se destina a cobrir despesas relativas ao exercício do mandato.

O próprio Alcolumbre é alvo da ação judicial, mas sua defesa tem beneficiado todos os senadores. O Setor de Transparência do Senado se negou a responder 45 pedidos de informações nos seis primeiros meses de 2019. As negativas estão sendo questionadas pela Justiça Federal, Ministério Público e Tribunal de Contas da União (TCU).

Por meio de sua Advocacia-Geral, o Senado pede que Alcolumbre não seja obrigado a divulgar suas notas. A justificativa é que as informações passaram a ser publicadas no site da Casa a partir de julho. A divulgação dos dados, porém, não é retroativa. Ou seja, as notas fiscais reembolsadas antes de junho serão mantidas em sigilo. (Política / Pág. A4)

Mais ricos têm 56% das deduções de saúde do IR

Levantamento do Estado com base em dados da Receita mostra que 56% das deduções de gastos com saúde do Imposto de Renda da Pessoa Física são concedidas a contribuintes que ganham acima de dez salários mínimos por mês. Os 19,7% mais ricos entre os declarantes abateram R$ 44,4 bilhões em despesas com saúde na declaração de 2018. Na educação, esse também é o grupo mais contemplado pelo benefício. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3)

Indicar Eduardo é nepotismo, diz parecer legislativo

Parecer elaborado pela Consultoria Legislativa do Senado, com base em entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) , diz que a indicação do deputado Eduardo Bolsonaro para a embaixada do Brasil nos EUA configura nepotismo. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Governo muda critérios para bolsas de estudo

O governo federal vai mudar critérios de concessão de bolsas de mestrado e doutorado. O novo sistema de escolha levará em conta o IDH do município da faculdade, o teor das pesquisas e a nota dos cursos nos últimos anos. (METRÓPOLE / PÁG. A17)

Cai o ministro da Economia da Argentina

Nicolás Dujovne renunciou às vésperas da eleição presidencial. Seu sucessor será Hernán Lacunza, secretário de Economia da província de Buenos Aires. (ECONOMIA / PÁG. B5)

Eliane Cantanhêde

Que motivos o presidente tem para confrontar a PF, que mantém rumo profissional? (POLÍTICA / PÁG. A6)

Notas&Informações

Sem razão para otimismo

A reforma da Previdência, que parece bem encaminhada, não é suficiente para justificar otimismo quanto ao futuro imediato da gestão fiscal do governo federal. (PÁG. A3)

Desempregados crônicos

Não há muito o que comemorar nos dados sobre o desemprego divulgados pelo IBGE. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Lava Jato driblou lei para ter dados da Receita, mostram mensagens

Procuradores estabeleceram relação próxima com Roberto Leonel, depois levado por Sergio Moro ao Coaf

Procuradores da Operação Lava Jato contornaram limites legais para obter informalmente dados sigilosos da Receita Federal em diferentes ocasiões, segundo mensagens obtidas pelo site Intercept Brasil e analisadas em conjunto com a Folha.

Os diálogos mostram que integrantes da força-tarefa no Paraná buscaram informações da Receita várias vezes sem que a Justiça tivesse autorizado a quebra do sigilo fiscal das pessoas que eles pretendiam investigar.

Para tanto, contaram com a cooperação de Roberto Leonel, que chefiou a área de inteligência da Receita em Curitiba até 2018 e assumiu o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), por indicação de Sergio Moro, no início do governo Jair Bolsonaro (PSL).

Força-tarefa e Receita Federal afirmam que suas interações são executadas dentro dos limites da legislação. Leonel e Coaf não responderam aos questionamentos da reportagem. (Poder A4)

Exportações de ouro batem recorde sob temor recessivo

As vendas brasileiras de ouro vêm batendo recorde ante o temor de recessão global. O metal tem sido usado para proteger patrimônio. Em 2018, o Brasil exportou 95 toneladas, um crescimento de 150% em dez anos. A demanda estimula o garimpo ilegal em terras indígenas. O Ministério Público Federal entrou com ação contra a União e o Banco Central para coibir esquemas que “esquentam” o ouro Clandestino. (Mercado A26)

Investimento à míngua leva a debate sobre papel estatal

A expressiva queda nos investimentos por parte do setor privado reacende a discussão sobre prós e contras de uma atuação direta do governo na economia. A alocação de recursos da construção civil como fatia do PIB teve, em 2018, seu pior desempenho em mais de 70 anos, diz estudo de pesquisador da USP. (Mercado A23)

Eduardo nos EUA é nepotismo, diz parecer do Senado (Mundo A22)

 

Pasta da Economia muda de titular na Argentina em crise

O presidente Mauricio Macri substituiu o ministro da Economia da Argentina, Nicolás Dujovne, por Hernán Lacunza, titular da pasta em Buenos Aires. Dujovne criticava medidas heterodoxas anunciadas por Macri. (Mercado A25)

Com salário de R$ 11 mil, fiscal acumula imóveis

Agente vistor da Prefeitura de São Paulo, Jorge Tupynambá acumulou patrimônio de R$ 12 milhões em imóveis. Inquéritos apuram suposta cobrança de propina. Ele nega irregularidades e diz desconhecer as denúncias. (Cotidiano B1)

Editoriais

Temor global

Sobre guerra comercial e riscos de nova recessão.

Bolso ambiental

Acerca de perda de recursos contra desmatamento.

Redação