Principais Jornais do Brasil neste domingo 26 de maio.

26 de maio de 2019

O Estado de S. Paulo

Manchete : Atos por todo o País viram teste de apoio popular ao governo

Pelo menos 312 cidades programaram manifestações de apoio a Jair Bolsonaro

Manifestações de apoio ao governo convocadas para hoje em pelo menos 312 cidades brasileiras serão um teste de força para o presidente Jair Bolsonaro. Apesar de ter agido nos últimos dias para desvincular os atos de qualquer patrocínio do Palácio do Planalto, Bolsonaro foi alertado por aliados de que as mobilizações viraram uma armadilha para sua gestão. Pelas redes sociais, deputados do PSL incentivaram os atos. O receio é de que, se não houver adesão popular de peso, o fracasso seja interpretado como perda de popularidade do presidente em meio a uma extensa lista de desafios políticos e econômicos. Outra preocupação é com possíveis episódios de violência. Não por acaso, Bolsonaro condenou publicamente a defesa, nas manifestações, de fechamento do Congresso e do STF. O Planalto pede que o foco das manifestações seja a defesa da reforma da Previdência e da segurança pública, além da Operação Lava Jato e do pacote anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro. POLÍTICA / PÁGS. A4 e A8

‘Recall’ do presidente

Um dos alvos das manifestações de hoje, o Congresso estuda colocar em pauta a adoção de “recall” para mandato de presidente. A medida teria potencial de reduzir o tempo do ocupante do Planalto. PÁG. A8

Futuro sem sacrifício

Governo e ONGs querem acabar com a eutanásia dos cavalos de corrida, que costumam sofrer com sequelas após a “aposentadoria”. Ideia é usá-los em atividades como equoterapia. ESPORTES / PÁG. A27

Rolf Kuntz

Sem qualidades, nenhuma passeata será suficiente para fortalecer um presidente. A ruindade é do governo. ESPAÇO ABERTO / PÁG. A2

Celso Ming

Na questão da regulação das patinetes, as discussões são permeadas por achismos porque ninguém conhece o assunto. ECONOMIA / PÁG. B2

Vera Magalhães

Jair Bolsonaro é o segundo presidente a entrar num ciclo de contestação e reafirmação de mandato em tempo real. POLÍTICA / PÁG. A10

Notas & Informações

Vox populi

Pesquisa sugere que, com cinco meses de mandato, a paciência dos que ainda esperam alguma coisa positiva do governo Bolsonaro está acabando rapidamente. PÁG. A3

Bom sinal do lado dos preços

Depois de salto no começo do ano, a inflação, um dos maiores pesadelos para as famílias, começa a perder impulso. PÁG. A3

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Congresso limita ação de Bolsonaro e cria agenda própria

Deputados e senadores assumem reformas econômicas e priorizam medidas que restringem atuação do presidente

Seja qual for o resultado das manifestações de rua pró-Bolsonaro marcadas para hoje, líderes dos partidos que comandam o Congresso Nacional definiram um pacote de medidas para limitar o raio de ação do presidente da República. Avaliação uníssona colhida pela Folha entre congressistas é que Jair Bolsonaro (PSL) tem demonstrado incapacidade de governar. Além de acelerar discussões sobre impeachment, a insatisfação encontra lastro e incentivo no mundo empresarial e financeiro, o que faz deputados e senadores assumirem a dianteira de iniciativas como as reformas da Previdência e tributária. “Vai ser necessário ignorar o governo, não tem outra saída”, afirma o deputado Elmar Nascimento (BA), líder do DEM na Câmara. Entre as prioridades do partido, que ocupa as duas presidências do Congresso, e do centrão estão a PEC do Orçamento impositivo, um projeto que limita número de medidas provisórias e a adoção, quando necessário, de decretos legislativos para sustar os presidenciais. Há também duas propostas de “semipresidencialismo” ou “semiparlamentarismo” para 2022. (Poder A4)

Família Batista pagou R$ 1 a Bertin por fatia do grupo JBS

Fusão da JBS com o Bertin, à época o maior exportador de carne bovina do país, envolveu acordo no qual os Bertins aceitaram ter menos de 10% da JBS como parte do pagamento — e que venderiam de volta aos Batistas tudo que excedesse esses 10% pela simbólica quantia de R$ 1. Com a transação, os Batistas recuperaram por fora ações que equivaliam a 17% da JBS. (Mercado p.4)

Presidente veio do ‘não’ ao invés do ‘sim’, afirma FHC

Ex-presidente diz que sistema político criado em 1988 desapareceu na última eleição, pautada mais pela negação do que pela proposição. FHC acredita que sucessor de Jair Bolsonaro deverá ser um nome carismático. (Ilustríssima p.6)

Governo muda atribuições para destravar obras de infraestrutura

Medida provisória permite que estados, municípios e estatais contratem o BNDES, sem licitação, para estudos de projetos, PPPs e concessões à iniciativa privada. (Mercado p.1)

MP do saneamento traz competição justa, diz Kelman

Para o ex-presidente da Sabesp, Jerson Kelman, o texto que propõe regulação do saneamento básico permite competição justa pela oferta do serviço. Governadores se opõem à medida provisória. (Mercado p.6)

Cortes na educação geram queda real no orçamento do MEC

Sucessivos cortes desde 2015, em reflexo da crise econômica, levaram a uma redução real (descontada a inflação) dos recursos disponíveis na pasta. De 2015 a 2018, a retração acumulada foi de 6%. (Cotidiano B1)

Angela Alonso

Alma das ruas responde hoje

O que o antipetismo uniu, o poder separa. Se o ato pender para o campo liberal, será um fiasco, e Bolsonaro queimará pontes. Mas, se pender para o campo conservador, ele se cacifará para peitar Congresso e oposição . (Ilustríssima p.3)

Editoriais

Algazarra autoritária

Sobre manifestações de rua marcadas para hoje.

Torneira seca

Acerca de obstáculos a MP que regula o saneamento. (Opinião A2)

————————————————————————————

O Globo

Manchete : País perde R$ 151 bi ao ano com jovens fora da escola

Dos 3,2 milhões de brasileiros que completam 18 anos, 35% ainda não concluíram o ensino médio. Indicador reduz produtividade da economia e renda dos trabalhadores

A elevada evasão escolar provoca perdas anuais de R$ 151 bilhões à economia brasileira, informa CÁSSIA ALMEIDA. Estudo inédito de Ricardo Paes de Barros, economista- chefe do Instituto Ayrton Senna e professor do Insper, mostra que 15% dos dez milhões de adolescentes entre 15 e 17 anos estão fora da escola. Quando completam 18 anos, 35% ainda não concluíram o ensino médio. Sem formação adequada, esses jovens viram trabalhadores pouco qualificados, condenados a salários baixos e a uma saúde mais precária. Isso eleva gastos públicos com assistência e reduz a produtividade, gerando a fatura calculada por Barros. “É violação grave de direitos e um custo fenomenal para a sociedade”, alerta. A qualidade do ensino também preocupa: o Estado do Rio caiu da 4ª para a 20ª posição em ranking de avaliação em apenas quatro anos. PÁGINAS 25 e 26

Mercado em ponto de bala

DISPARA INTERESSE POR ARMAS

Nas lojas de armas das principais capitais do país, jovens curiosos por manusear espingardas, colecionadores que desejam aumentar o arsenal e praticantes de tiro em busca de novidades animam os comerciantes. “A liberação de modelos de uso restrito abriu leque expressivo para os compradores”, diz o empresário Axl Satier. PÁGINA 12

De Shakespeare a Machado, Cabral revê cobiça e maldade

As resenhas que o ex-governador Sérgio Cabral fez para abater sua pena, de 198 anos de prisão por corrupção e outros crimes, abordam “os riscos iminentes de injustiça” e “os ingredientes da alma humana” em obras de Machado de Assis, Shakespeare e Moacyr Scliar. Em uma das análises, ganhou nota dez. PÁGINA 11

Para ministro, internação forçada pode ser solução para cracolândia

Autor de projeto de lei aprovado no Senado, Osmar Terra diz que medida combate “epidemia”. Especialistas criticam. PÁGINA 36

Conheça as novas regras para mudança de plano de saúde (Página 32)

Editorial

REFORMAS TÊM A VER COM DISTRIBUIÇÃO DE RENDA E POBREZA
PÁGINA 2

Lauro Jardim

Emílio Odebrecht não descarta pedir recuperação judicial
PÁGINA 6

Bernardo Mello Franco

Desmatamento cresce e impulsiona negacionismo do governo
PÁGINA 3.

Redação