Jornais do Brasil nesta Terça Feira 26 de Março

26 de março de 2019

O Globo

Manchete : Temer é solto após críticas ao uso da prisão preventiva

Apesar de decisão, desembargador do TRF-2 diz apoiar Lava-Jato. Juiz Marcelo Bretas bloqueia R$ 62 milhões do ex-presidente

O ex-presidente Michel Temer foi libertado ontem por decisão do desembargador Ivan Athié, do TRF-2. Outros sete presos na Operação Descontaminação, entre eles o ex-governador do Rio Moreira Franco, também foram soltos. A prisão preventiva de Temer, decretada na última quinta-feira pelo juiz Marcelo Bretas, da Lava-Jato no Rio, sob acusação de comandar esquema de desvio de dinheiro em obras de Angra 3, foi criticada por especialistas em Direito, que questionam a detenção de suspeitos quando não há condenação ou mesmo ação penal instituída. Athié anunciara que o habeas corpus iria à sessão da 1ª Turma Especializada na quarta-feira, mas recuou e decidiu sozinho. Apesar das muitas críticas ao texto de Bretas, ele afirmou que apoia a Lava-Jato. (PÁGINA 4)

MERVAL PEREIRA

Desembargador se mostra volúvel ao soltar Temer (PÁGINA 2)

BERNARDO MELLO FRANCO

Temer se vê no papel de vítima (PÁGINA 6)

MÍRIAM LEITÃO

Presidente será sempre o gerente da coalizão (PÁGINA 16)

JOSÉ CASADO

Bolsonaro flerta com o desastre (PÁGINA 3)

Guedes vai ao Congresso tentar estancar crise

Depois de críticas mútuas entre o presidente Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o governo escalou Paulo Guedes, ministro da Economia, para pacificar a relação com o Congresso. Ele vai à Comissão de Constituição e Justiça falar de reforma da Previdência. Houve mais ataques a Maia em redes sociais. (PÁGINA 15)

Dodge propõe que juiz federal atue na esfera eleitoral

Após o STF determinar que crimes ligados a caixa dois transitem na Justiça Eleitoral, decisão criticada por membros da Lava-Jato, a procuradora- geral da República, Raquel Dodge, pediu ao TSE que juízes federais possam atuar nessa outra jurisdição. Hoje, a Justiça Eleitoral dispõe apenas de magistrados estaduais. (PÁGINA 6)

Entrevista – Piñera: ‘Ditaduras caem com atos desesperados’

Para o presidente do Chile, Sebastián Piñera, a chegada de aviões militares russos à Venezuela é sinal de desespero do governo. Ele se diz preocupado com ex-presidentes sul-americanos presos ou processados por corrupção. (PÁGINA 20)

Battisti assume que cometeu homicídios pela 1ª vez

Em depoimento à Justiça italiana, terrorista assumiu autoria de quatro homicídios nos anos 70, pelos quais foi condenado à prisão perpétua. Bolsonaro comemorou a confissão. (PÁGINA 8)

Emprego tem o melhor mês de fevereiro em 5 anos

Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) aponta criação de mais de 173 mil vagas formais de trabalho em fevereiro. Setor de serviços impulsionou o índice. (PÁGINA 17)

MEC adia por 2 anos avaliação do nível de alfabetização

Ministério da Educação transferiu para 2021 avaliação de crianças de 7 anos, que começaria este ano. A secretária de Educação Básica se demitiu. (PÁGINA 23)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Pressionado, Bolsonaro promete empenho pela Previdência

Ele pediu que ministros busquem ‘pacificação’ e colocou Paulo Guedes na articulação política

Após fim de semana de bate-boca virtual com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e de dar declarações contraditórias sobre a importância da reforma da Previdência, Jair Bolsonaro afirmou ontem que vai se empenhar para a aprovação da proposta na Câmara. Ele pediu que ministros busquem a “pacificação” com os deputados. Segundo o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, Bolsonaro está disposto a se reunir com presidentes de partidos e lideranças no Congresso. “O presidente está aberto à interlocução com todos”, disse. Na mesma linha “pacificadora”, o ministro da Economia, Paulo Guedes, deve tomar a frente nas articulações políticas. Junto com Bolsonaro, trabalhará para esclarecer a proposta para a sociedade e para os congressistas. Ontem, a prefeitos reunidos em Brasília, Guedes disse que a reforma vai evitar a interrupção do pagamento de salários ao funcionalismo público.
ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3

Corte em projeções ‘tira’ R$ 36 bi do PIB

Dúvidas em relação à aprovação da reforma da Previdência fazem economistas reverem as projeções para o crescimento do PIB neste ano, que partiram de 2,53% e estão em 2%, o que representa “perda” de R$ 36 bilhões.
PÁG. B4

Temer deixa prisão após 4 dias

O ex-presidente Michel Temer deixou ontem, no início da noite, a Superintendência da Polícia Federal no Rio, depois de quatro dias de prisão. A soltura foi determinada pelo desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2.ª Região (TRF-2). Temer foi preso na quinta-feira por ordem do juiz federal Marcelo Bretas, da 7.ª Vara Federal Criminal, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. O ex-ministro Wellington Moreira Franco e outros seis presos também foram libertados.
POLÍTICA / PÁGS. A4 e A6

Reforma terá alíquota cheia para só 1.142 servidores

O número de servidores ativos, aposentados e pensionistas que vão pagar alíquota máxima, de 22%, é de 1.142, segundo a proposta da reforma da Previdência. Isso representa 0,08% do total de 1,4 milhão de pessoas que estão na folha de pagamento da União. Os dados são do Ministério da Economia.
ECONOMIA / PÁG. B3

Câmara articula projeto para socorrer partidos

A Câmara dos Deputados pode votar nesta semana, em caráter de urgência, projeto de lei que prevê anistia de multas a partidos políticos que não aplicaram seus recursos de forma adequada e isenta diretórios punidos pela Receita Federal por não cumprirem determinações legais.
POLÍTICA / PÁG. A8

MEC suspende avaliação de alfabetização e abre nova crise

O MEC suspendeu por dois anos prova para avaliar a alfabetização de alunos de 7 anos, prevista para outubro. A decisão, tomada sem o conhecimento do ministro, Ricardo Vélez Rodríguez, provocou nova crise na pasta. A secretária de Educação Básica, Tânia Almeida, se desligou ontem do MEC.
METRÓPOLE / PÁG. A14

Preso na Itália, Battisti admite 4 assassinatos

O italiano Cesare Battisti, que ficou 40 anos foragido e recebeu asilo político no Brasil, admitiu na Itália, onde está preso, que é responsável por 4 assassinatos cometidos nos anos 1970. Ele confessou ainda a prática de roubos.
INTERNACIONAL / PÁG. A12

Morte por álcool cresce entre os mais velhos (Metrópole / Pág. A15)

Dodge quer juiz federal para crime eleitoral (Política / Pág. A6)

Eliane Cantanhêde

Alívio no STF, por ora

Ao soltar Temer, desembargador tirou peso do STF, que vem sendo atacado pelos bolsonaristas e pela opinião pública.
POLÍTICA / PÁG. A6

Vera Magalhães

Com atraso

É um escândalo que um desembargador alegue falta de tempo de ler o processo e analisar pedido de habeas corpus.
POLÍTICA / PÁG. A4

Notas & Informações

Procura-se um presidente

O presidente Jair Bolsonaro não parece satisfeito em criar problemas em série no país que governa e passou a causar constrangimentos também nos vizinhos. PÁG. A3

Setor externo ainda saudável

Sem grandes perigos à vista, as contas externas são rara e preciosa bênção para o governo. PÁG. A3

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Centrão cogita votar texto da Previdência de Temer

Manobra seria uma resposta de parlamentares às declarações de Bolsonaro

Irritados com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), líderes do centrão discutem desenterrar a reforma da Previdência do governo Michel Temer e votá-la como afronta ao Planalto. Iniciativa é de parlamentares que apoiam as mudanças, mas estão descontentes com o tratamento dispensado ao Congresso. Deputados e presidentes de partidos ouvidos pela Folha disseram que a ideia surgiu em conversas informais na semana passada. Eles avaliam que o texto proposto pela gestão do ex-presidente era menos duro, mais palatável e com projeções de economia mais factíveis e transparentes. Com o aumento da temperatura na relação entre Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), eles viram na manobra uma forma de explicitar sua insatisfação com o governo. Em reunião com ministros, Bolsonaro disse que é hora de uma relação harmônica com o Legislativo. Líderes de diversos partidos farão hoje um ato para declarar apoio à reforma, mas com um veto às mudanças na aposentadoria rural e no pagamento de benefícios para idosos miseráveis. Os dois pontos, propostos pela equipe econômica, enfrentam resistência entre os parlamentares. (Mercado A 17)

Ex-presidente é solto com bloqueio de R$ 62 milhões

Depois de quatro dias em prisão preventiva, o ex-presidente Miehel Temer foi solto ontem. A decisão liminar, do juiz federal Ivan Athié, do TRF-2, beneficiou mais sete detidos. Athié disse que é a favor da Lava Jato, mas que as prisões se deram “sem observância das garantias constitucionais”. A decisão não altera ordem de bloqueio de R$ 62,6 milhões de que Temer é alvo. (Poder A4 e A6)

Presidente quer a ‘comemoração devida’ do golpe

O porta-voz da Presidência afirmou que Jair Bolsonaro não considera a tomada de poder pelos militares em 1964 um golpe. E que, por isso, determinou que sejam feitas as “comemorações devidas” em unidades militares em 31 de março, sem detalhar como elas serão feitas. (Poder a 10)

Geração de vagas em fevereiro surpreende e chega a 173 mil

Resultado do último mês é o melhor para o período desde 2014, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Com a abertura dessas vagas, o número total de postos formais chegou a 38,6 milhões, uma alta de 0,45% em relação a janeiro. (Mercado A21)

Na Itália, Battisti admite atuação em assassinatos

O terrorista Cesare Battisti confessou ao procurador-geral de Milão, em depoimento no presídio onde está detido desde janeiro, ser o mandante de dois assassinatos e o perpetrador de outros dois nos anos 1970. Ele, que viveu no Brasil de 2004 a 2018, nunca havia admitido a culpa. (Poder a8)

Apagão volta a atingir Caracas e 14 estados da Venezuela

A região metropolitana de Caracas e o estado de Miranda foram os mais afetados pela falta de luz. O metrô da capital foi fechado. Ao menos 14 dos 23 estados venezuelanos registraram falta de energia ontem. É o segundo apagão a atingir o país em menos de 20 dias. (Mundo A14)

Para presidente da Latam, país não tem solução rápida

Em entrevista à Folha, Jerome Cadier diz que o setor aéreo está com “um pé na água quente e outro na fria”, demanda no mercado doméstico e desequilíbrio no internacional. Elogia a equipe de infraestrutura do governo, mas pede “foco no país, não em tuíte e mídia social”. (Mercado A20)

Prova de alfabetização é suspensa pelo MEC e secretária se demite (B4)

Carlos Melo

Clichês, ‘nova’ e ‘velha’ política nada significam

Termos impedem efetivar a Grande Política, impessoal, que ergue instituições capazes de interpretar desafios do presente e do futuro. Ser republicano, no Brasil, seria algo absolutamente novo. (Poder A12)

Hélio Schwartsman

Jair Bolsonaro termina seu mandato? (A2)

Editoriais

Política, velha ou nova

A respeito de desarticulação do governo Bolsonaro (A2)

Vitória de Trump

Acerca de relatório sobre atividade russa em eleição (A2).

Redação