Jornais do Brasil nesta segunda feira 14 de janeiro

14 de janeiro de 2019

O Globo

Manchete: Battisti é preso na Bolívia e deportado para a Itália

Brasil chegou a enviar avião para trazer foragido, mas italiano foi mandado diretamente a seu país

Após um mês foragido, Cesare Battisti foi capturado em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, e deportado para a Itália. Condenado por quatro assassinatos na década de 1970, quando era militante de extrema-esquerda, Battisti ficou no Brasil por mais de uma década e recebeu refúgio no governo Lula. No final do ano passado, Michel Temer autorizou sua extradição, e ele fugiu. O italiano chegou a pedir asilo à Bolívia, alegando que o Brasil tornou-se um país de extrema- direita. O presidente Jair Bolsonaro comemorou a prisão, e a PF enviou um avião para trazer o foragido ao país e, depois, mandá-lo à Itália, mas Battisti acabou sendo mandado diretamente à Europa. (PÁGINA 4)

Disfarce previsto pela PF

O visual de Battisti quando foi preso era bem parecido com um dos possíveis disfarces divulgados pela PF quando ele fugiu. (PÁGINA 4)

STF não deve barrar projetos de Bolsonaro

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, disse a CAROLINA BRÍGIDO que iniciativas do governo Bolsonaro, como a liberação da posse de arma e o endurecimento da progressão das penas de presos, que não ferem cláusulas pétreas da Constituição, não serão barradas pela Corte. (PÁGINA 8)

Deputada é atacada com tiros de fuzil

Ex-chefe de Polícia, parlamentar já foi ameaçada

A polícia investiga um ataque a tiros de fuzil à deputada Martha Rocha, primeira e única mulher a ser chefe de Polícia no Rio. Bandidos perseguiram o carro blindado em que ela e a mãe, de 88 anos, seguiam para uma missa na Penha. Graças ao motorista, que mesmo baleado na perna continuou a dirigir, elas conseguiram escapar ilesas. (PÁGINA 9)

Prisão e tensão na Venezuela

O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, foi preso por agentes do serviço de inteligência quando ia para um comício, mas libertado uma hora depois,em caso definido por seus aliados como “sequestro”. O governo Maduro tentou minimizar o episódio, que chamou de “show midiático”. (PÁGINA 15)

Demétrio Magnoli

O que querem os ‘antiglobalistas’ (PÁGINA 3)

Governo aperta regras de fundos de pensão (PÁGINA 13)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Battisti vai da Bolívia para prisão perpétua na Itália

Condenado por quatro assassinatos na década de 1970, italiano que passou os últimos anos no Brasil foi preso na noite de sábado em Santa Cruz de La Sierra e levado diretamente para Roma

O italiano Cesare Battisti foi levado ontem da Bolívia para a Itália, onde deve cumprir prisão perpétua. Preso na tarde de sábado em Santa Cruz de La Sierra pela polícia boliviana e pela Interpol, ele estava foragido do Brasil desde 14 de dezembro. O governo Jair Bolsonaro chegou a informar que ele seria trazido ao País antes de seguir para Roma e deslocou uma aeronave da Polícia Federal para Corumbá, na fronteira, mas o governo italiano mandou um avião buscá-lo. Se passasse pelo Brasil, sua extradição só seria autorizada caso a Itália se comprometesse a não aplicar prisão perpétua nem pena de morte e limitasse a prisão a 30 anos. Durante a campanha, Bolsonaro prometeu extraditar Battisti, mas Michel Temer se antecipou e autorizou a extradição. Ontem, Bolsonaro foi às redes sociais comemorar. Depois, fez reunião de emergência com os ministros Sergio Moro, Ernesto Araújo e Augusto Heleno. O premiê italiano, Giuseppe Conte, disse ter telefonado ao presidente brasileiro para agradecer. Battisti deixou a Itália após ser condenado por quatro assassinatos nos anos 1970. Passou por França e México e foi preso em 2007 no Brasil. No último dia de governo, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva lhe deu asilo político.
(POLÍTICA / PÁGS. A4 e A6)

Amigos apelaram a Evo por refúgio

Antes de Cesare Battisti ser levado à Itália, amigos no Brasil fizeram uma última tentativa de evitar a extradição e pediram em carta ao vice-presidente da Bolívia, Álvaro Linera, que o governo Evo Morales desse refúgio político ao italiano.
(PÁG. A6)

Europeus devem limitar compra de aço brasileiro

A Comissão Europeia vai votar nesta semana proposta que estabelece cotas para a importação de 26 produtos de aço – o Brasil terá restrições em sete deles. A medida é uma resposta à superoferta global, depois das barreiras impostas pelos EUA. Segundo os europeus, entre 2013 e 2018 o aço importado passou de uma fatia de 12% do mercado local para 18%. A Europa é destino de 25% das exportações nacionais da matéria-prima.
(ECONOMIA / PÁG. B1)

Bolsonaro estreará em Davos

Promessas de abrir o mercado e combater a corrupção atraem atenções. Mas presidente será cobrado por defesa da Amazônia e dos direitos humanos no Fórum Econômico.
(PÁG. B3)

Odebrecht usou PMs para levar R$ 120 mi

Uma tropa de policiais militares contratada pela empresa Transnacional e sua matriz Transexpert fez centenas de pagamentos ilícitos da Odebrecht para políticos e agentes públicos. Operado pelo doleiro Álvaro Novis, o sistema distribuiu ao menos R$ 37,9 milhões em São Paulo e R$ 81,8 milhões no Rio de 2011 a 2014. Os PMs recebiam R$ 180 por dia de “bico”.
(POLÍTICA / PÁG. A8)

Deputada tem carro atacado por tiros de fuzil

Ex-chefe da Polícia Civil do Rio, a deputada estadual Martha Rocha (PDT) teve o carro atacado por tiros de fuzil na zona norte da cidade. Ela estava com a mãe e o motorista num veículo blindado e saiu ilesa. No fim de 2018, Martha foi ameaçada de morte por milicianos. A polícia investiga hipóteses de atentado e tentativa de assalto.
(METRÓPOLE / PÁG. A12)

Maduro prende e solta chefe do Parlamento (Internacional / Pág. A11)

Cida Damasco

Sacrifícios em nome do ajuste fiscal são preferencialmente para “os outros”. E os outros são sempre os mesmos.
(ECONOMIA / PÁG. B3)

Notas & Informações

A tragédia do ensino médio

Sem fortalecer o ensino de disciplinas essenciais e motivar os alunos, Brasil continuará incapaz de formar mão de obra produtiva como a de outras economias. (PÁG. A3)

A extensão da crise Espera-se que a pequena melhora da arrecadação pelos governos estaduais não estimule nova onda de gastança.
(PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Battisti é preso na Bolívia e enviado direto para a Itália

Governo Bolsonaro tenta sem sucesso buscar terrorista, condenado à prisão perpétua em seu país

Após quase um mês foragido, o terrorista italiano Cesare Battisti, 64, objeto de disputa por muitos anos entre Itália e Brasil, foi preso na Bolívia na noite deste sábado (12) e enviado ontem para seu país de origem. Deve desembarcar em Roma no início da tarde (horário local). O governo Bolsonaro chegou a acionar avião da Polícia Federal para trazer Battisti ao Brasil, mas uma negociação entre os governos de Itália e Bolívia tornou a medida desnecessária. Na Itália, Battisti foi condenado à prisão perpétua pela morte de quatro pessoas nos anos 1970. “Acabou a festa”, disse, em postagem nas redes sociais, o vice-premiê italiano, Matteo Salvini. Jair Bolsonaro também festejou a prisão e aproveitou para criticar os petistas — em 2010, após o STF autorizar a extradição do italiano, Lula o manteve no Brasil. Foragido desde 14 de dezembro, Battisti foi preso em Santa Cruz de la Sierra por agentes locais e da Interpol. Sua prisão foi determinada em dezembro pelo ministro Luiz Fux, e sua extradição, por Michel Temer. A defesa de Battisti afirma que a expulsão ou deportação deveria ser feita ao país de última procedência. (Poder A4)

Foragido driblou PF, que o procurou até em barco no rio Amazonas (Poder A6)

Leandro Colon

Caso é vexame completo para o Brasil (Opinião A2)

Maioridade penal, para 84%, deve ser aos 16 anos

A redução da maioridade penal de 18 para 16 anos é defendida por 84% dos brasileiros, segundo pesquisa Datafolha — 14% são contrários à alteração. Os índices estão estáveis desde o levantamento anterior, de novembro de 2017, mas o debate tende a ganhar força na gestão Jair Bolsonaro (PSL). O presidente e Sergio Moro (Justiça) defendem a redução para 16 anos. (Cotidiano B1)

Presidente da Assembleia Nacional é detido na Venezuela

Juan Guaidó foi detido ontem, por uma hora, por agentes da inteligência do ditador Nicolás Maduro. A ação, segundo o regime, foi coisa “de alguns indivíduos”. (Mundo A10)

Criminosos atacam ponte e juizado com explosivos no CE

A onda de ataques, que já havia derrubado uma torre de energia no sábado, prosseguiu ontem. Em sessão extraordinária, deputados estaduais aprovaram série de projetos para conter a crise na segurança. Um deles prevê a retirada das tomadas das celas de presídios. (Cotidiano B2)

Carro de deputada do Rio é atingido por tiros de fuzil

O veículo em que estava a deputada estadual e ex-chefe da Polícia Civil Martha Rocha (PDT) foi alvo de tiros no Rio. Ela e a mãe, de 88 anos, não foram atingidas. Ferido, o motorista passa bem. O ataque é similar ao que matou, em 2018, a vereadora Marielle Franco (PSOL). (Cotidiano B3)

Governo fecha mostra no Rio, e curador e artistas veem censura (C3)

Entrevista da 2ª – Beleza e cultura melhoram pessoas, acendem uma luz

Renzo Piano

Aos 81 anos, arquiteto e senador italiano criou ponte que substituirá a que caiu em Gênova. Contra “onda de populismo terrível”, prioriza prédios públicos, “máquinas não de guerra, mas de paz”. (Ilustrada C4)

Editoriais

Trindade básica

Sobre duas décadas do tripé da política econômica.

A promessa e a lei

Acerca de planos de Doria para a segurança pública. (Opinião A2).

Redação