Jornais do Brasil neste domingo 9 de dezembro

09 de dezembro de 2018

O Globo

Manchete : Aposentadorias dobram, e situação dos estados é crítica

De 2006 a 2017, despesas estaduais com servidores inativos subiram 93%, contra 46% da União e 79% do INSS. Rombo é de R$ 86,3 bilhões

O déficit previdenciário mais grave do país atinge os estados, que já estão com as finanças em situação crítica. Estudo feito pelo economista Raul Velloso para O GLOBO mostra que o pagamento de aposentados nesses entes, entre 2006 e 2017, cresceu 93%, enquanto no setor privado o crescimento foi de 79% e, na União, de 46%. O rombo dos estados chegou, em 2017, a R$ 86,3 bilhões. O especialista lembra, porém, que a arrecadação previdenciária do INSS é mais afetada pela recessão, por causa da queda nas contratações, problema que não ocorre com o regime dos servidores, cuja arrecadação é garantida pela estabilidade da carreira. Segundo Velloso, a deterioração das contas estaduais se deve ao aumento de contratações, a reajustes salariais concedidos por governadores e ao envelhecimento dos servidores. Em Minas, que tem a pior situação, o gasto com inativos, de 28% do orçamento, é quase o triplo dos recursos destinados à saúde. (PÁGINA 31 e 32)

Cabral dava mesada a boy, motorista e cozinheira

Delator diz que ex-governador pagava ‘extra’ a 32 funcionários do palácio, do alto escalão até os mais simples

Carlos Miranda, operador de Sérgio Cabral, revelou que o ex-governador distribuía o dinheiro da propina não só para seu vice e secretários, mas também ao baixo escalão. Ao mensageiro cabia a menor mesada: R$ 500. (PÁGINA 4)

MÉDIUM NA BERLINDA

MULHERES AVALIAM DENUNCIAR JOÃO DE DEUS À JUSTIÇA

Sete mulheres que relataram à repórter HELENA BORGES abusos sexuais que teriam sido praticados por João Teixeira de Faria, o médium João de Deus, avaliam denunciá-lo ao Ministério Público. A promotora Silvia Chakian, coordenadora do Grupo Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, em São Paulo, afirma que é importante que outras vítimas o denunciem. “Uma mulher relatando sozinha não é ouvida”, diz. (PÁGINAS 40 e 41)

Ex-assessor de Flávio recebeu de oito servidores

Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, recebeu depósitos de oito funcionários do gabinete do deputado estadual, entre 2016 e 2017. Sobre cheques de R$ 24 mil para futura primeira-dama, Jair Bolsonaro diz que “ninguém recebe ou dá dinheiro sujo por cheque nominal”, mas avalia declarar transação ao Fisco. (PÁGINA 6)

Colunistas

ELIO GASPARI

As frituras na formação do Ministério (PÁGINA 10)

MÍRIAM LEITÃO

É irracional negar a agenda ambiental (PÁGINA 32)

ASCÂNIO SELEME

O risco do sacolejo nas redes sociais (PÁGINA 7)

LAURO JARDIM

STF decide sobre prisão de Lula após posse de Moro (PÁGINA 6)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Indígenas arrendam ilegalmente 3,1 milhões de hectares

Acordos em pelo menos 22 áreas protegidas por lei incluem pagamento de mesada e divisão da produção

Pelo menos 22 terras indígenas têm áreas arrendadas para atividades exploratórias, o que é proibido por lei. São 3,1 milhões de hectares em todo o País, o equivalente a cinco vezes o tamanho do Distrito Federal, e a maioria fica na Região Sul, informa André Borges. As negociações clandestinas pela terra incluem desde o pagamento de mensalidades para os índios até a divisão da produção. De acordo com levantamento feito pela Funai a pedido do Estado, mais de 48 mil índios convivem hoje com a exploração ilegal do solo, mas os números podem ser ainda maiores. “Como se trata de um ilícito, obviamente as partes envolvidas procuram escondê-lo”, informa a fundação em nota. Na Ilha do Bananal, no Tocantins, está o maior caso de exploração ilegal. Lá, 4 mil indígenas recebem mesada para abrir suas terras para criadores de gado de corte. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B4)

Moro quer ampliar estrutura para deixar Coaf mais ágil

A estrutura do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) deve ser reforçada sob a aba de Sérgio Moro. O número de funcionários pode aumentar e estão previstos investimentos em tecnologia para tornar o órgão mais ágil e proativo. A forma de atuação também deve ser modificada. A ideia é que o próprio Coaf aponte dados suspeitos e encaminhe para as autoridades. Foi o órgão que identificou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta de um ex-assessor de Flávio Bolsonaro. (POLÍTICA / PÁG. A4)

‘Bolsonaro não tem um projeto para o País’

ENTREVISTA: Luciano Huck, APRESENTADOR E EMPRESÁRIO

Luciano Huck não enxerga nas propostas de Jair Bolsonaro “um projeto de país”. Embora afirme que o presidente eleito “não enganou ninguém” na eleição e defenda um voto de confiança, ele cobra um plano de redução da desigualdade para o País “não ficar andando de lado para sempre”. Huck admite não ter mais como sair da política, na qual entrou quando passou a ser cotado como potencial candidato à Presidência, e diz que o centro converge para um novo partido. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Conta de Michelle é como se fosse minha, diz Bolsonaro

Presidente eleito assumiu a responsabilidade pelos recursos depositados na conta de sua mulher, Michelle, pelo PM Fabrício Queiroz. (POLÍTICA / PÁG. A10)

Paulo Guedes indica mais 6 secretários para Economia (ECONOMIA / PÁG. B5)

Médicas cubanas pedem ajuda para ficar no País (METRÓPOLE / PÁG. A21)

Reportagem Especial – O AI-5 E O PLANO PARA CASSAR OS ÚLTIMOS DEPUTADOS

Militares revelam como montaram operação que levou à cassação dos dois últimos deputados federais com base no AI-5, cuja decretação completa 50 anos nesta semana. (POLÍTICA / PÁGS. A12 a A14)

Revolta contra a elite e os partidos amplia protestos na França

As manifestações, que começaram há um mês contra a alta da gasolina, vêm crescendo. Só ontem, 1,3 mil pessoas foram presas. (INTERNACIONAL/PÁG. A15)

Eliane Cantanhêde

Vidraças de Bolsonaro

Foi a pior semana após a vitória e ainda vem mais: a pressão para elevar soldos. (POLÍTICA /PÁG. A8)

Vera Magalhães

De pedras a vidraças

Quem sempre foi inflexível com denúncias, agora nega respostas. (POLÍTICA / PÁG. A10)

Notas&Informações

Crescimento com civilização

Relatório do Ministério da Fazenda aponta caminho no qual produtividade e igualdade de oportunidades são ideias interligadas pela valorização da política educacional. (PÁG. A3)

O peso da China

É cada vez maior a presença do capital chinês nos investimentos estrangeiros no Brasil. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Mudança em lei beneficia prefeituras menos eficientes

Projeto livra de punição cidades que incharam funcionalismo sem ter receita fixa

Projeto que flexibiliza a Lei de Responsabilidade Fiscal para municípios, aprovado pelo Congresso, deve beneficiar as prefeituras que mais contrataram funcionários nos últimos anos e que tendem a ser as menos eficientes nas áreas de saúde, educação e saneamento. O texto, ainda sem sanção presidencial, livra de punição municípios que gastarem acima de 60% da receita com servidores, se a arrecadação tiver caído mais de 10%. Hoje, eles ficam impedidos de receber transferências voluntárias e de contratar operações de crédito. Na prática, a mudança ajuda cidades que, durante o boom do petróleo, incharam o funcionalismo — como Cabo Frio e Maricá (RJ) e Caraguatatuba e Ilhabela (SP). Desde 2015, porém, a receita minguou por causa da crise e, principalmente, da queda no preço do petróleo. Quase 700 municípios dobraram o total de servidores entre 2004 e 2014, enquanto a população cresceu 12%. Segundo o Ranking de Eficiência dos Municípios – Folha, quanto maior o percentual de alta no funcionalismo, pior o desempenho nas principais áreas. (Mercado p.l)

Está claro que gente nossa fez bobagem, diz Jaques Wagner

Um dos principais líderes do PT, Jaques Wagner reconhece, em entrevista à Folha, que “nessa questão de corrupção, que gente nossa fez bobagem está claro”. Na eleição, o ex-governador da Bahia foi voz dissonante no partido e defendeu o apoio a Ciro Gomes. Agora, reclama do pedetista. “Quem defende a democracia não pode querer o isolamento do PT.” (Poder A4)

Não se dá dinheiro sujo em cheque, afirma Bolsonaro

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse que “ninguém dá dinheiro sujo em cheque” para justificar os R$ 24 mil pagos em cheque pelo ex-assessor de seu filho a sua mulher, Michelle. Ele reafirmou que o valor se refere ao pagamento de dívida. (Poder A8)

Desarticulação emperra políticas contra homicídios

Para combater os homicídios — que vitimaram 64 mil pessoas no país em 2017, um recorde —, o governo Bolsonaro terá de contornar um quadro de desarticulação, dizem analistas. Recursos e dados sobre criminalidade são escassos, e planos de segurança, inócuos. (Cotidiano B1)

Médium João de Deus é acusado de abusos sexuais (Cotidiano B4)

50 anos de AI-5 – Ato atingiu pelo menos 1.390 pessoas nos 2 primeiros anos

Instituído em 13 de dezembro de 1968, o Ato Institucional n° 5, conhecido como AI-5, atingiu pelo menos 1.390 brasileiros nos dois primeiros anos de sua vigência. Foram afetados de senadores a porteiros, de juízes a encanador, mostram documentos produzidos pelos militares e relatórios da Comissão Nacional da Verdade. “Houve grande desestímulo à juventude, o sentimento de ‘podemos mudar o mundo’ foi perdido”, diz David Lerer, à época deputado federal, Cassado. (Poder A12 a Al5)

50 anos de um pesadelo que sufocou a cultura

AI-5 encerrou ciclo de florescimento artístico dos anos 1950, escreve Marcelo Ridenti. (Ilustríssima p.4)
Moro contra o crime

Sobre planos e equipe do futuro ministro da Justiça (A2)

O estilo Obrador

Acerca de medidas iniciais do presidente do México (A2).

Redação