Jornais do Brasil nesta terça feira 12 de junho

12 de junho de 2018

O Estado de S. Paulo

Manchete: Indefinição sobre frete trava o transporte de carga

Embarques do agronegócio têm 11 dias de atraso, indústria sente falta de insumos: tabela está sendo negociada

Embora não haja mais bloqueios nas estradas, a indefinição do governo em torno da tabela de preço mínimo do transporte rodoviário faz com que empresas adiem os deslocamentos, com reflexos na exportação e na produção. Os embarques do agronegócio estão atrasados há 11 dias. Exportadores de cereais informam que 10 milhões de toneladas estão paradas e 50 navios esperam soja nos portos. Setores da indústria sentem a falta de insumos. O tabelamento do frete – decisivo para encerrar a paralisação dos caminhoneiros – virou armadilha para o governo. Já foram editadas duas versões da tabela. A primeira, em vigor, atendeu os caminhoneiros, mas desagradou ao agronegócio, que fala de preços até 150% maiores. A segunda contrariou os caminhoneiros. Uma terceira versão está em discussão. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3)

Inflação ficará na meta, diz BC

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, disse que “a inflação não ia ficar abaixo de 3% para sempre”, mas o índice oficial de preços não vai ultrapassar a meta de 4,5% para ano. (PÁG. B6)

‘SUS da Segurança’ prevê R$ 800 mi

Verba para o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) virá das loterias federais. Até 2022, estima-se aporte de R$ 4,3 bilhões para o combate à criminalidade. (METRÓPOLE / PÁG. A14)

Polarização dá impulso à notícias falsas

Especialistas que participaram ontem do Fórum Estadão- Faap acreditam que a polarização política aumenta a rejeição dos fatos e alimenta notícias falsas. Para eles, cabe à sociedade – mais que ao Estado – filtrar essas informações. (POLÍTICA/ PÁG. A8)

Ana Carla Abrão

Mais da metade da economia do País está nas mãos do setor público. É imprescindível que se aumente a produtividade. (ECONOMIA / PÁG. B3)

Notas & Informações

O mau humor do brasileiro

Pesquisas qualificam Michel Temer como o mais impopular presidente e expressam pessimismo com a economia. Nos dois casos a percepção não se sustenta em fatos. (PÁG. A3)

Hora do realismo na Argentina

Não há mágica para fazer um país crescer de forma duradoura quando imperam gastança e irresponsabilidade no governo. (PÁG. A3)

———————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Maioria dos brasileiros não tem interesse na Copa russa

Segundo Datafolha, 53% são indiferentes ao Mundial; nem ótima fase da seleção anima

Às vésperas do início da Copa do Mundo da Rússia, o desinteresse dos brasileiros com a competição aumentou, aponta o Datafolha. Segundo pesquisa nacional feita semana passada, 53% dizem ser indiferentes à Copa, que começa na quinta. O Brasil estreia no domingo. A marca atual é a pior às vésperas de um Mundial desde o início da série histórica, em 1994. No final de janeiro, o desinteresse era de 42%. A falta de animação é maior entre mulheres (61%), pessoas de 35 a 44 anos (57%) e os com renda familiar de até dois salários mínimos (54%). Nem a ótima fase da seleção do técnico Tite, que sofreu uma única derrota em 21 partidas e é apontada como uma das favoritas ao título, empolga os brasileiros. De acordo com o levantamento, apenas 18% dos entrevistados dizem ter grande interesse pela competição. Paulistanos ouvidos pela Folha dizem que a indiferença se deve à crise no país, a casos de corrupção na CBF e à derrota por 7 a 1 para a Alemanha na Copa de 2014. O Datafolha entrevistou 2.824 pessoas em 174 cidades. A margem de erro é de dois pontos. (Copa 2018 p. 1)

Partidos buscam flexibilizar regras para a vaquinha online

Siglas como PSDB, DEM e Novo querem mudar no Tribunal Superior Eleitoral o limite diário de R$ 1.064 para quem quer doar a seus candidatos na internet. O pedido está no gabinete do presidente da corte, Luiz Fux. (Poder A4)

PSDB só tem plano A, de Alckmin, para Planalto, diz Doria (Poder A6)

Para economizar, governo centraliza gasto com papelaria (Mercado p. 6).

Redação