Jornais do Brasil nesta sexta feira 13 de janeiro

13 de janeiro de 2017

O Globo

Manchete: Estado do Rio ultrapassa limite de gasto com pessoal

Folha de pagamento já consome mais que o permitido pela lei

Pezão voltará a propor à Alerj contribuição previdenciária extra para servidores

O Estado do Rio ultrapassou o permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal em gastos com pessoal (60%), comprometendo quase 74% da receita corrente líquida. Em 2016, foram cerca de R$ 34 bilhões em salários, de acordo com a Comissão de Tributação da Alerj. O governo Pezão vai propor contribuição previdenciária de 20% dos salários dos servidores, por dois anos, inclusive para aposentados. (Pág. 8)

Comperj: 23 mil vagas

A retomada do Comperj vai criar, no segundo semestre, 23.300 postos de trabalho, informa RAMONA ORDOÑEZ. (Pág. 19)

Cabral tem aplicação de R$ 38 milhões

A Justiça bloqueou R$ 38 milhões do ex-governador Sérgio Cabral, aplicados em um fundo de investimento, revela RUBEN BERTA. O valor foi identificado pelo Coaf. Em 2016, o Banco Central afirmara ter encontrado apenas R$ 404 em contas de Cabral. (Pág. 3)

Crivella desdiz o que dissera

O prefeito ontem alegou que se confundiu ao dizer que técnico que presidiria CET-Rio tem doença grave, e atribuiu erro a repórter. A declaração dada a grupo de jornalistas, porém, foi gravada. (Pág. 9)

Alívio de R$ 75 bi com juro menor

A queda mais rápida da Selic deve reduzir gasto com juros da dívida pública em R$ 75 bilhões este ano. A decisão do Copom fez a Bolsa subir 2,41%. (Pág. 17)

Um novo Enem

Governo estuda realizar Enem 2017 em dois domingos ou em apenas um dia. (Pág. 24)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Corte da taxa de juro anima Bovespa e desvaloriza dólar

Presidente Michel Temer diz acreditar que a Selic – hoje em 13% – cairá gradativamente para um dígito

A Bovespa reagiu com forte otimismo ontem à decisão do Copom de reduzir em 0,75 ponto porcentual a taxa básica de juros, para 13%, numa queda maior que o esperado. A Bolsa fechou em alta de 2,41%, aos 63.953,93 pontos, o maior patamar desde 8 de novembro – dia da eleição americana. O presidente Michel Temer disse acreditar que, gradativamente, os juros cairão de dois para um dígito. “Juros muito altos dificultam investimentos.” O dólar teve queda de 0,62%, cotado a R$ 3,1747. O recuo da moeda norte-americana se deveu principalmente à expectativa de entrada de recursos no País. Para o pesquisador Michael Viriato, o sinal do Banco Central de que a inflação está sob controle e os juros devem seguir rota de queda faz com que o empresário se sinta mais seguro para fazer empréstimos a taxas menores no futuro. “É uma reação em cadeia e o investidor também se sente mais confiante.” (ECONOMIA / PÁG. B4)

Eliane Cantanhêde

A queda da inflação e a queda dos juros são uma ótima notícia de início de ano e uma lufada de alívio para Temer e seu governo, mas o ambiente continua de sobressaltos, sacolejos, incertezas, instabilidade. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Servidor do Rio terá de pagar até 20% do salário à Previdência

O programa de recuperação fiscal do Estado do Rio poderá durar quatro anos, um ano mais do que o previsto inicialmente pelo governo federal. Pelo acordo que está sendo feito com a União, os servidores fluminenses deverão ter de pagar alíquota extra de 6% para a Previdência estadual, medida que já foi rejeitada pela Assembleia. Com isso, o desconto total no salário dos servidores para a Previdência pode chegar a 20%. (ECONOMIA / PÁG. B1)

Por Lava Jato, Janot avalia disputar terceiro mandato na PGR

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot – chefe do MPF desde o início da Operação Lava Jato –, avalia a possibilidade de disputar o terceiro mandato de dois anos à frente da instituição. Janot já foi reconduzido ao cargo, em 2015, para a gestão que se encerra em setembro. A posição seria inédita dentro do grupo dos “tuiuiús”, procuradores que lutaram para que a categoria fosse ouvida na escolha do chefe da instituição. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Região Norte pede ajuda à Força Nacional a cada 45 dias

Dados reunidos pelo Fórum Brasileiro de Segurança mostram que os sete Estados da Região Norte solicitaram a presença da Força Nacional de Segurança duas vezes por trimestre nos últimos 12 anos. Foram executadas 98 operações desde a criação da tropa, em 2004. Especialistas dizem que o tempo médio do que era para ser ação emergencial tem se estendido e o recurso pode perder eficácia. (METRÓPOLE / PÁGS. A11 e A12)

Fernando Gabeira

Com as organizações criminosas em guerra, sociedade tem oportunidade de enfraquecê-las. (ESPAÇO ABERTO / PÁG. A2)

Notas & Informações

Ousadia e prudência nos juros

Os diretores do BC decidiram fazer mais uma forcinha para desatolar a economia brasileira. (PÁG. A3)

Lula, de herói a mártir

Político pragmático, ele não se ilude com a “campanha eleitoral” que lançou em Salvador. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Doria deve cortar entrega de leite a estudantes de SP

Com dificuldades orçamentárias, nova gestão pode rever também compra de material e transporte escolar

Diante de orçamento reduzido, o prefeito João Doria (PSDB) deve reduzir em São Paulo o programa Leve Leite, que atende 900 mil estudantes da creche ao 9° ano da rede municipal. Em entrevista à Folha, o secretário de Educação, Alexandre Schneider, disse que podem ser revistos também a compra de material escolar e o transporte de alunos. As dificuldades financeiras da nova gestão vão além da crise econômica. O cenário foi agravado pelo congelamento das tarifas de ônibus em R$ 3,80 neste ano. A medida gerará gastos adicionais de R$ 1 bilhão. “A situação fiscal da prefeitura não ê fácil. Chego em um momento muito mais difícil que da primeira vez que fui secretário”, afirmou. Serão rediscutidas despesas sem ligação direta com ensino, que consomem em torno de R$ 1,1 bilhão do orçamento da secretaria —de um total de R$ 10,9 bilhões. Schneider não detalhou as reduções, mas a Folha apurou que a entrega de leite deve ser restringida a crianças de 0 a 6 anos. (Cotidiano B1)

MÔNICA BERGAMO – Prefeito dará xampu e sabonete em abrigos da cidade. (C2)

Pela 1a. vez, Brasil é líder de ranking de propina nos EUA

Com 19 menções, o Brasil lidera pela primeira vez um ranking de países mais citados por empresas globais investigadas por corrupção nos EUA. A China tem 17 menções e o Iraque, oito. A lei anticorrupção local, de 1977, proíbe empresas com negócios no país de pagarem suborno no exterior. A legislação almeja evitar que a propina mine a concorrência e prejudique grupos e investidores dos EUA. Desde 2015, o número de menções ao Brasil no ranking, feito por um site especializado nessa lei, quase dobrou (de 10 para 19). A China liderou a lista nos dois anos anteriores. (Poder A4)

Socorro a Estados terá as mesmas exigências feitas ao Rio, diz Meirelles (Mercado a13)

OAB critica ministro por sugerir gravação de conversa entre advogados e presos (Cotidiano B5)

Análise – Cláudia Colucci

Vacina contra a febre amarela requer cautela (Cotidiano B5)

Painel

CNJ sabia que detentos dominavam presídio em Manaus desde 2013 (Poder A4)

Editoriais

Leia “Perdido no caos”, sobre declarações do ministro da Justiça, e “Pragmatismo petista”, acerca da posição do PT nas eleições do Congresso. (Opinião a2).

Redação