Jornais do Brasil nesta quinta feira 01 de dezembro

01 de dezembro de 2016

O Globo

Manchete : Câmara provoca forte reação ao desfigurar pacote anticorrupção

STF critica, Lava-Jato ameaça renunciar, e ruas fazem panelaço
Saiba como votaram os deputados durante a madrugada
Renan também tenta votar, mas é derrotado no Senado

A Lava-Jato, o Judiciário e o MP reagiram à decisão da Câmara de desfigurar o pacote anticorrupção apresentado por procuradores. Apenas duas das dez medidas originais foram integralmente mantidas, entre elas a criminalização do caixa dois. Presidente do STF, a ministra Cármen Lúcia disse que a tipificação do crime de abuso de autoridade para promotores e juízes contraria a independência do Judiciário. O procurador Deltan Dallagnol chamou de “o começo do fim da Lava-Jato”, e a força-tarefa ameaçou renunciar às investigações. PT, PMDB e PDT foram os que mais votaram pelas mudanças. (Págs. 3 a 14)

Alerta máximo

Em debate antes da decisão da Câmara, o juiz Sérgio Moro admitiu risco à independência do Judiciário, mas assegurou que a Lava-Jato continuará. (Págs. 15 a 18)

País deve enfrentar a recessão mais intensa

O IBGE informou ontem que o PIB brasileiro recuou 0,8% no terceiro trimestre, com a crise se aprofundando e afetando praticamente todos os setores da economia. A indústria e os investimentos, que haviam se recuperado no segundo trimestre, voltaram a cair. O consumo das famílias também recuou, e o PIB per capita já acumula perda de 10,3% desde o segundo trimestre de 2014. Economistas afirmam que o desequilíbrio fiscal, os juros altos, o desemprego elevado e o cenário externo incerto dificultam a retomada do crescimento. E já não descartam saída ainda mais demorada da recessão, com o risco de o PIB voltar a cair também em 2017. Com isso, o atual ciclo recessivo deve ser o mais grave da história recente, superando em intensidade e duração as crises de 1981 a 1983, quando houve a moratória da dívida externa, e de 1989 a 1992, no confisco do Plano Collor. (Págs. 31 a 34)

Colômbia confirma que avião não tinha combustível ao cair

Vigília une Chapecó e Medellín; corpos devem chegar amanhã

A Secretaria de Segurança Aérea da Colômbia confirmou o que a gravação de conversa entre o piloto Miguel Quiroga e a controladora de voo do aeroporto de Medellín mostrara: o avião que caiu matando 71 pessoas estava sem combustível. Estádios de Chapecó e Medellín lotaram para tributos às vítimas. (Págs. 40 a 44)

Colunistas

MERVAL PEREIRA – Políticos não querem aperfeiçoar o combate à corrupção (Pág. 4)

MÍRIAM LEITÃO – Congresso afronta o país ao desfigurar um projeto popular (Pág. 32)

Editorial

‘Momento é de conversa e de entendimento’ (Pág. 20)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Força-tarefa ameaça abandonar Lava Jato; aumenta tensão entre Poderes

Presidente do STF diz que não se conseguirá calar a Justiça; presidente do Senado afirma que proposta original só seria aceita no fascismo

A aprovação durante a madrugada do pacote anticorrupção com emendas que preveem punições a magistrados, procuradores e promotores por abuso de autoridade causou forte reação de Judiciário e Ministério Público. Representantes da força-tarefa ameaçaram deixar a Operação Lava Jato caso o texto seja ratificado pelo Senado e sancionado por Michel Temer. Em nota, a presidente do STF, Cármen Lúcia, lamentou o “texto que pode contrariar a independência do Judiciário”. “Nunca se conseguiu, nem se conseguirá, calar a Justiça.” O procurador Rodrigo Janot falou em “retaliação” e disse que não existem mais as 10 medidas contra a corrupção, que receberam mais de 2 milhões de assinaturas, e o País foi posto “em marcha à ré”. As críticas foram rebatidas pelos presidentes do Senado, Renan Calheiros, que disse que a proposta só seria aceita em regime fascista, e da Câmara, Rodrigo Maia, para quem a Casa exerceu seu papel. (Política A4 a A8)

Renan tenta votar medidas, mas fracassa

Em manobra com líderes do Senado, Renan Calheiros tentou na noite de ontem votar requerimento de urgência do pacote anticorrupção, mas foi derrotado. (A5)

Protestos agora miram Congresso

Cidades brasileiras voltaram a registrar panelaços. Convocados em redes sociais, tiveram como alvo os parlamentares. (A6)

Falta de combustível derrubou avião, diz Colômbia

Autoridades colombianas apresentaram as primeiras conclusões sobre a tragédia com o voo da Chapecoense que matou 71 pessoas. Segundo o secretário de Segurança Aérea do país, Freddy Bonilla, o avião estava sem combustível no momento do choque. “Qualquer aeronave no mundo precisa ter reserva mínima para aguentar 30 minutos além do tempo previsto de voo e mais 5 minutos ou 5% da distância. Vamos apurar por que a tripulação não tinha combustível suficiente.” A hipótese é de que, com a pane seca, os motores se apagaram e houve pane elétrica, como relatado pelo piloto à torre. Amanhã deve começar o traslado de corpos ao Brasil. (PÁGS. A24 a A28)

Empresa LaMia teve 4 voos negados no Brasil

Dos seis pedidos de voo que a LaMia fez à Anac recentemente, quatro foram negados. A Conmebol negou influência na escolha da companhia. (PÁG. A25)

PIB cai pelo sétimo trimestre seguido; projeções pioram

A economia brasileira registrou no terceiro trimestre uma queda de 0,8% em relação ao trimestre anterior. Foi a sétima queda consecutiva do PIB. O resultado mostra que a recuperação ainda está distante e fez com que analistas revisassem para baixo suas projeções para 2017. Já há quem fale em mais um ano de recessão. (Economia B1 a B6)

Copom reduz Selic para 13,75%

O Banco Central cortou os juros básicos da economia em 0,25 ponto porcentual. Analistas pediam queda maior. (B7)

Barroso pede ‘políticas melhores’ sobre aborto

Após julgar que interrupção da gravidez até o 3.º mês de gestação não é crime, ministro disse que o STF não defendeu aborto: “Estado não deve tomar partido” (Metrópole A20)

Entidades criticam quebra de sigilo de jornalista (Política A12)

Celso Ming

Aumentam o desalento e a percepção de que governo Temer não tem coelho para tirar da cartola (Economia B2)

Verissimo

E chegamos à Bahia, terra de sol e geddeis. Os geddeis são muitos, mas só alguns são pegos. (Caderno 2 C10)

Notas&Informações

Temperança, uma virtude que se esvai – Enquanto os brasileiros dormiam, parlamentares acomodaram seus interesses. Mas a reação do MPF e de juízes às medidas foi absolutamente acima do tom. (A3)

A baderna invade as ruas (A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Recessão prolongada no país eleva pessimismo sobre 2017

PIB recua 0,8% no 3º trimestre, na 7ª queda seguida; BC reduz juros para 13,75%

O recuo de 0,8% no PIB (Produto Intemo Bruto) no terceiro trimestre frustrou a expectativa de o Brasil sair mais rápido da recessão. É a sétima queda consecutiva e a mais longa sequência de retrações verificada pelo IBGE desde o início da atual série do PIB, há 20 anos. A diminuição na atividade se deu em todos os grandes grupos da economia (investimento, indústria, agropecuária, serviços e consumo). Os dois primeiros haviam registrado desempenho positivo no segundo trimestre. A dificuldade em superar a crise leva analistas a preverem que o PIB continuará retraído no começo de 2017. De acordo com Igor Velecico, economista do Bradesco, o PIB cairá ainda mais em 2016 (3,6%, e não 3,4%) e sua alta será menor no ano que vem: 0,3%, e não 1%. O Banco Central baixou pela segunda vez seguida a Selic, taxa básica de juros, que passou a ser de 13,75% ao ano. A redução dos juros ê vista como essencial para a retomada do crescimento do país. (Mercado págs. 1, 3 a 5 e 7)

‘Falha elétrica total, sem combustível’, avisou piloto

O diálogo entre uma controladora de voo e o piloto da aeronave que levava o time da Chapecoense para jogo na Colômbia reforça a hipótese de uma pane seca antes da queda que deixou 71 mortos, entre eles 19 jogadores. “LaMia 933 está em falha elétrica total, sem combustível”, avisou Miguel Quiroga. No momento do impacto o avião estava com o tanque vazio, disseram autoridades do país. (Tragédia no futebol B1)

Senado nega apoio à Câmara em embate com STF sobre aborto (Cotidiano B7)

Após ameaça, Renan perde em manobra contra Lava Jato

Procuradores da força-tarefa da Lava Jato ameaçaram uma renúncia coletiva caso versão desfigurada do pacote de medidas anticorrupção aprovado pela Câmara seja sancionada pelo presidente Michel Temer. Após a entrevista, o presidente do Senado, Renan Calheiros, tentou manobra para aprovar as medidas na noite desta quarta (30), mas o requerimento de urgência foi derrotado. (Poder A4 e A5)

Presidente Temer corre risco de não chegar a 2018, diz Joaquim Barbosa (Poder A8)

Regime de Cuba é o que mais matou na América

A ditadura cubana iniciada por Fidel Castro em 1959 é o regime mais sanguinário em impacto relativo à população entre as autocracias na América Latina na segunda metade do século 20, à frente de Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai e Bolívia. A Argentina vem a seguir, com 30,9 por 100 mil pessoas em sete anos. O Brasil tem índice de 0,3 no intervalo de 21 anos. (Mundo A14)

Editoriais

Leia “Teto necessário”, acerca de projeto que limita os gastos do governo, e “Ensino reprovado”, sobre desempenho de calouros de pedagogia no Enem. (Opinião a2).

Redação