Senhor dos Céus

Venho do mundo tumultuado de cada dia, e o cansaço invade o meu corpo além de esmorecer a minha alma; venho da guerra que surge das coisas que buscamos, e por intrigas que lamentavelmente criamos.

É difícil criar um mundo onde as desigualdades se conservam como moeda corrente, e faz com que a inveja e o orgulho sejam sempre as coisas do cotidiano.

As pessoas em que depositamos toda confiança rolam sob os pés da decepção e muitos a quem entregamos as nossas esperanças nos rejeitam.

Este mundo coberto de surpresa arruinou os meus sonhos; meu castelo de bondade se desfez e o calor da minha ternura se transformou em frio capaz de destruir a minha única pétala de fé.

Procuro encontrar a vida com a beleza, que me ajude a caminhar sem medo das trevas, que me estimule a compreender um pouco dos fartos ensinamentos da vida.

Quero caminhar com os olhos cheios de amor, com os braços estendidos para sentir pulsar ao meu lado de um coração sofredor e abrandar por palavras o seu inferno intimo.

Faz-me grande nas minhas missões me transformando em guerreiro não por imposição, mas um soldado capaz de cumprir com lealdade para com todos, principalmente os pequenos e humildes.

Senhor ensina-me a ser generoso, buscando por caminhos adversos a força para vencer as intempéries que muitas das vezes nos surpreendem.

Ajuda-me a ter a simplicidade de uma criança mantendo-me sereno na dor e no infortúnio, e agiganta-me na condição de ancião para que possa usar a sabedoria do perdão.

Converta os fracassos da minha vida em triunfo maior, para que eu possa produzir frutos de benevolência que se espalhe em pomares dantes visitado.

Senhor enche de bondade meu coração, que possa ser perfeito nas duvidas, e sincero na palavra, trazendo sempre comigo a ternura do alvorecer e a beleza do manto estrelado da noite.

Não deixe que pensamentos mundanos ocupem as gavetas das coisas belas que meu coração foi capaz de guardar e desfaça as minhas dúvidas.

Quando tudo chegar ao seu final, que tudo seja conforme esteja escrito, para que possas pagar pelos meus erros; ser também reconhecido por minhas virtudes na balança do juízo.

Ilumina as minhas estradas, oculta as visões desta vida que se transforma em cada dia em um circo onde todos fazem o papel principal de palhaço transformando as belas paisagens em visões bizarras.

Não podemos anunciar de forma clara que ao professar as coisas que aprendemos na rotina é mais que suficiente para que possamos alcançar as portas da virtude.

Ilude o homem a si mesmo quando tem a certeza que após a sua morte as coisas más são apagadas ao ser sepultado, mas não sabe ele que o corpo é consumido e o espírito sobe para sua prestação de contas.

Os olhos da Sabedoria tem guardado em sua retina sagrada tudo que foi observado, os ouvidos serão capazes de reproduzir todas as palavras que serviram para condenar um inocente.

Acredito que no decorrer da vida jamais conheceremos a verdade, pois ela nos espera após a morte ao libertarmos da loucura deste corpo que apenas soube servir para sacrificar as suas esperanças.

Rafael Holanda