Além do próprio umbigo

Quando o prefeito de Cajazeiras, José Aldemir (PP), diz que se o seu partido decidir apoiar o governo João Azevedo (PSB) ele e sua esposa, a deputada estadual Dra. Paula, não terão problema algum de acompanhar a legenda, está se dizendo algo para além do que se lê.

Ao fazer tal afirmação nas emissoras de rádio de Cajazeiras, Aldemir está deixando claro que pessoalmente nada tem contra o atual mandatário estadual . O prefeito de uma das maiores cidades do Estado esclarece que não mantém mais qualquer contencioso com o Palácio da Redenção e com a Granja Santana.

Claro que tais declarações geraram repercussão dentro e fora dos governos municipal e estadual.

Na seara municipal o que mais ouvi é que o melhor para o prefeito cajazeirense e para Cajazeiras é Aldemir e Dra. Paula comporem ao lado de Azevêdo. Em seguida explico.

Já no âmbito estadual surgem divergências. Não do Palácio nem da Granja, que mantém-se silentes até o momento em relação ao assunto. As divergências acontecem entre a base de apoio ao governo na terra do padre Rolim.

No caso municipal há quase um consenso de que a composição com o governador fará bem política e administrativamente à gestão municipal. Politicamente porque aliados não disputam entre si. Isso significa que, acontecendo a nova aliança política PP/PSB, em 2020, por exemplo, o governo estadual não interferirá nas disputas municipais onde aliados seus se digladiam pelo poder.

Trocando em miúdos, consolidada a aliança, João Azevêdo não fará campanha municipal em Cajazeiras ou então subirá em todos os palanques dos que são seus aliados. Isso, por si só, já é um grande ganho para a gestão Aldemir, que certamente vai buscar a reeleição. Não ter o governo estadual contra, na Paraíba, é tudo que qualquer candidato sonha!

Mas para além do ganho político, há o ganho administrativo. Ou alguém ignora que as “facilidades” para aliados são infinitamente maiores! Assim, tanto melhor para Cajazeiras e os cajazeirense, pois não!

Mas já na seara estadual e partidária, a coisa não é tão consensual. De um lado a maioria dos vereadores do PSB cajazeirense defendendo essa aliança, enquanto os deputados estaduais da base, Jeová Campos e Jr. Araújo, também se dividem.

Jeová não diz sim nem não e prefere aguardar os acontecimentos, o que inevitavelmente vai acabar lhe levando de roldão. Ou seja, quando o imbróglio se definir seja pra que lado for, ele será obrigado a acompanhar ou perderá espaços.

Já o deputado Jr. Araújo é contra tal aliança. Segundo ele o governo não ganha nada com isso, porque já tem maioria na Assembleia Legislativa. Esquecendo-se da máxima de que ‘política é a arte de somar’, o parlamentar do Avante tampouco está considerando os ganhos administrativos que certamente advirão dessa composição para Cajazeiras, sua principal base eleitoral.

O raciocínio de todos, vereadores (a favor e contra) e deputados (neutro e contra) estão baseados simplesmente na disputa eleitoral de 2020, onde cada qual tem suas pretensões.

Não será hora de todos pensarem um pouco também nos ganhos administrativos da terra comum?

Não será hora de olharmos além do próprio umbigo?

Jornalista profissional em diversas emissoras de rádio e jornais da Paraíba, atualmente é articulista do Gazeta do Alto Piranhas (Cajazeiras), produtor e apresentador do programa Trem das Onze, apresentado aos domingos pela Rádio Alto Piranhas.