Barcelona vence fácil a Juventus

barcelonaRESUMÃO

O JOGO

Lionel Messi teve (mais) um dia de extraterrestre para apresentar as credenciais do novo Barcelona na Liga dos Campeões. No primeiro grande teste após a saída de Neymar, justamente diante do algoz da edição passada, o camisa 10 fez dois gols e “meio” (Rakitic marcou o outro, após grande jogada do argentino) e foi o grande protagonista da vitória por 3 a 0 sobre a Juventus, nesta terça-feira, no Camp Nou, pela abertura do Grupo A. Além de decisivo, Messi deu fim a um tabu ao balançar as redes pela primeira vez diante de Buffon.

BARÇA NA BOA; JUVE EM ALERTA

Ainda que na primeira rodada, a vitória diante do grande rival da chave, com boa margem de gols, deixa o time catalão em condição bastante favorável para buscar a primeira posição do grupo – e, consequentemente, a classificação. Já a Juve é bom abrir o olho. Além de ver o rival abir vantagem, a Velha Senhora vê o Sporting largar na segunda posição do Grupo D ao derrotar o Olympiacos por 3 a 2 na Grécia. A próxima rodada acontece daqui a duas semanas: a Juventus recebe os gregos, e o Barcelona visita os portugueses.

PRIMEIRO TEMPO DIFÍCIL

O primeiro tempo foi equilibrado, e a Juve, com mais posse de bola e finalizações, até deu a impressão de que poderia voltar com os três pontos para Turim. Ainda assim, as chances mais perigosas foram criadas pelos donos da casa: aos 19, Suárez aproveitou rebote e obrigou Buffon a fazer grande defesa; aos 36, Dembélé ficou sozinho na área e mandou para fora; e aos 44, enfim, Messi entrou em cena para tabelar com Suárez e superar o goleiro italiano pela primeira vez na carreira.

SEGUNDO TEMPO FÁCIL

 No segundo tempo, o panorama foi outro, e Messi liderou o Barça a uma vitória tranquila. Ele poderia ter ampliado aos seis, mas parou na trave (e, em seguida, nas costas de Buffon). Cinco minutos depois avançou por trás de Douglas Costa, invadiu a área e cruzou. A zaga rebateu, e Rakitic mandou para o fundo das redes. O show do argentino não parou por aí e, fora o baile, chamou Alex Sandro e Benatia para dançar aos 23 e mandou mais um chute indefensável para Buffon. A Juve estava entregue nesse momento, e Suárez ainda deixou o seu pouco depois, mas a arbitragem invalidou a jogada.

BARÇA DE CARA NOVA

Ernesto Valverde escalou o trio MSD pela primeira vez ao promover a entrada de Dembélé no time titular. O francês de mais de € 100 milhões não brilhou tanto assim, mas deu algum trabalho no primeiro tempo. Suárez tampouco teve grande noite, mas foi mais efetivo que o camisa 11. O show mesmo ficou na conta de Messi. No meio de campo, ele manteve Busquets, Rakitic e Iniesta, deixando Paulinho no banco. O volante da Seleção foi a campo no lugar do croata na etapa final, mas não teve muito tempo para mostrar.

Redação