Com onze deputados citados na Calvário, Galdino se diz tranquilo para retorno dos trabalhos na ALPB

O presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino (PSB), se disse tranquilo para o retorno dos trabalhos na Casa Epitácio Pessoa no dia 1º de fevereiro. Com onze citados em delações da Operação Calvário, incluindo o próprio presidente, Galdino não vê dificuldades, nem motivos para a criação de uma CPI.

“O trabalho precisa continuar e cada um dos deputados dar a contribuição para manter a governabilidade da Paraíba e Assembleia Legislativa”, disse e acrescentou: “estamos tranquilos, acreditamos na justiça, nos deputados e cada um irá provar a sua inocência e dar sua contribuição na criação de uma Paraíba mais justa e melhor para todos”, disse.

A respeito da CPI da Calvário que estaria sendo articulada pela oposição, Galdino disse que não há nenhum pedido a respeito dessa temática na Casa e que existem duas em andamento com uma terceira em vias, mas acrescentou que precisa se informar da situação.

“Se acontecer (o pedido de instalação da CPI da Calvário) irei decidir de acordo com o regimento”, disse. Além disso, Galdino acrescentou que, no meu pensamento, essa investigação em nada acrescenta ao trabalho do Ministério Público.

Foram citados em delações no âmbito das investigações da Calvário:

Cida Ramos (PSB);

Estela Bezerra (PSB);

Adriano Galdino (PSB),

Branco Mendes (Podemos),

Tião Gomes (Avante),

João Gonçalves (Podemos),

Márcio Roberto (MDB),

Antônio Mineral (PSB),

Doda de Tião (PTB),

Eva Gouveia (PSD),

Lindolfo Pires (Podemos).

Redação