Mais um motoboy é atingido por linha de cerol no pescoço e quase morre em CG

Casos de motoqueiros cortados com linha de cerol de pipas vêm se tonando corriqueiro em alguns bairros de Campina Grande. Depois de um acidente envolvendo um motoboy no último domingo (13), quando a vítima sofreu um corte profundo e teve que levar 17 pontos, nesta segunda-feira (14) um outro motociclista denunciou que há um mês também sofreu um corte no pescoço e teve que levar 8 pontos no hospital.

O jovem contou que se dirigia de moto para sua casa no residencial Bonald Filho e nas imediações do INSS, que fica no bairro da Dinamérica, sentiu uma “fisgada” no pescoço. Ao colocar a mão no local, ele percebeu que estava perdendo muito sangue e ficou muito apreensivo, pensando que iria morrer.

Ele percebeu que tinha sido atingido com uma linha de cerol e foi imediatamente para à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro. Apesar de está perdendo muito sangue, o motoqueiro informou que não conseguiu atendimento na UPA e teve que se deslocar até o Hospital de Trauma de Campina Grande, onde foi medicado e levou oito pontos.

Uma associação de motoqueiros da Cidade promete fazer uma grande manifestação contra essa prática antiga de soltar pipas na região utilizando linha de cerol. A Polícia Militar fez um alerta de que o uso de artefatos cortantes em linhas de pipa é crime e está descrito nos artigos 129, 132 e 278 do Código Penal Brasileiro. Quem for pego em flagrante fazendo isso pode ser autuado e, em caso de morte em decorrência da linha de cerol, responderá por homicídio doloso (quando há intenção de matar).

Redação