Filho de Luiz Gushiken delata o PT e conta detalhes sobre propina

Guilherme Gushiken, filho de Luiz Gushiken – um dos fundadores do PT e ex-ministro de Lula –, fechou delação premiada no âmbito da Operação Greenfield, que investiga fraudes nos fundos de pensão. A informação é do Antagonista.

Luiz Gushiken morreu em 2013. Os depoimentos de seu filho narram, em detalhes, reuniões sobre pagamentos de propinas ao PT e já subsidiaram uma denúncia do MPF que envolve esquemas no Petros, o fundo de pensão dos servidores da Petrobras.

De acordo com a Gazeta do Povo, o Ministério Público Federal em Brasília apresentou e a Justiça acatou denúncia contra um dos controladores da empreiteira Camargo Correia por corrupção ativa, gestão fraudulenta desvio e lavagem de dinheiro no âmbito da operação Greenfield, que investiga fraudes em fundos de pensão.

No total, oito pessoas se tornaram rés no caso que envolve o pagamento milionário de propinas a dirigentes do fundo de pensão dos servidores da Petrobras, a Petros, para que concordassem com a compra de papéis superfaturados.

A investigação contou com a colaboração dos delatores Joesley Batista, Antonio Palocci e Guilherme Gushiken. Este último, filho de Luiz Gushiken, fundador do PT e ex-ministro de Luiz Inácio Lula da Silva, teve seu acordo de delação homologado ainda em setembro de 2019, mas teve o acordo mantido em sigilo conforme reportagem da revista Crusoé.

Morto em 2013, Gushiken sempre negou envolvimento com irregularidades, mas, na delação, o filho narra a participação dele na articulação e recebimento de vantagens indevidas.

Redação