Buba afirma que professores de Picuí recebiam 50% acima do piso em sua Gestão.

Buba-BPMO deputado estadual Buba Germano (PSB) lembrou essa semana em programa de rádio da valorização dada aos profissionais da educação durante sua gestão como prefeito da cidade de Picuí, Seridó paraibano, e lamentou o tratamento que os mesmos recebem atualmente.

O ex-prefeito destacou que no ano de 2012, último ano do seu mandato, enquanto o piso nacional para 40 horas semanais era de R$ 1.451,00, em Picuí os professores com magistério recebiam R$ 1.734,76 e os com licenciatura R$ 2.191,29, ou seja, 50% acima do que era garantido por Lei.

Buba enfatizou que os profissionais com dedicação exclusiva recebiam 10% a mais. Assim, os professores com magistério recebiam R$ 1.843,19 e os com licenciatura R$ 2.328,25, uma diferença de R$ 392,19 e R$ 877,25, respectivamente, sobre o piso nacional.

O socialista enfatizou que ao concluir o seu mandato com minoria na Câmara Municipal foi o então vereador Olivânio Remígio (PT) que articulou a derrubada do projeto que concedia o 14º salário para os profissionais da Educação.

Na oportunidade, o parlamentar revelou números que mostram a queda nos recursos da Educação de Picuí para 2018.

Segundo Buba, esse ano o FUNDEB de Picuí vai perder quase R$ 1,7 milhão, em razão de 234 alunos que deixaram de matricular.

Na semana passada, o prefeito Olivânio Remígio (PT) reuniu os professores e anunciou o reajuste com o cumprimento do piso nacional, de 6,81%, retroativo ao mês de abril.

Com Ascom-Flávio Fernandes