João Azevedo larga na frente em enquete para Governador

ricardo e joãoA decisão do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) em continuar à frente da Prefeitura de João Pessoa mexeu com o tabuleiro político do estado. O gestor era apontado como um dos principais nomes da oposição para a disputa, e no último dia 1º divulgou uma carta aberta comunicando que não disputaria nenhum cargo eletivo este ano para cumprir o mandato até o fim.

Diante desse novo cenário, o Portal Correio lançou uma enquete, entre os dias 3 e 9 de março, para saber dos leitores quem sai mais fortalecido com Cartaxo fora do páreo. Para 51,22% dos internautas, a saída de Cartaxo beneficia diretamente o pré-candidato do PSB ao governo do estado, João Azevêdo.cassio romero

O resultado mostrou ainda que o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) aparece em 2º na enquete, com 23,33% dos votos, seguido pelo prefeito Romero Rodrigues, também do PSDB, com 13,29%, e do senador José Maranhão (MDB-PB), com 12,13%.

A permanência de Luciano Cartaxo no cargo provocou uma série de especulações nos bastidores políticos quanto aos próximos passos do prefeito. A primeira delas é se a desistência é mesmo pra valer ou se funcionaria como uma espécie de termômetro para avaliar o grau de apelo numa eventual volta à disputa. O prefeito, no entanto, tem reafirmado que seu posicionamento é em caráter definitivo. Caso reavalie a decisão, Cartaxo terá até 7 de abril para desincompatibilizar-se do cargo e participar das eleições como candidato.

Outro questionamento é se Luciano Cartaxo vai mesmo permanecer marchando com a oposição ou se o gesto foi uma espécie de aceno para o governador Ricardo Coutinho, com quem poderia reeditar a parceria política de 2014? Durante as entrevistas que concedeu, o prefeito afirmou que está aberto ao diálogo com todos os partidos. As declarações agitaram militantes e lideranças políticas de ambos os lados.

Saída do PSD

Apesar de dizer que permanece filiado ao PSD, a eventual saída de Cartaxo do partido também foi alvo de especulações nos bastidores políticos. O destino do prefeito, segundo os analistas, seria o PMN, legenda sobre a qual detém o controle no estado.

Lançamento de Lucélio ou Maísa

Até o ‘Dia do fico’, o irmão do prefeito, Lucélio Cartaxo, estava trabalhando o nome para se lançar na disputa por uma das 36 cadeiras na Assembleia Legislativa. Com Cartaxo na prefeitura, cogitou-se o lançamento de Lucélio para a vaga de vice ou por uma das duas vagas do Senado.

Outra opção desenhada seria a de colocar a primeira-dama de João Pessoa, Maísa Cartaxo, na chapa majoritária, a própria Maísa descartou qualquer possibilidade neste sentido.

Oposição ainda conta com Luciano

Mesmo tomados de surpresa com a decisão de Cartaxo, líderes oposicionistas ainda trabalham com a perspectiva de o gestor permanecer alinhado ao grupo. O senador Cássio Cunha Lima, por exemplo, deve se reunir com o prefeito neste fim de semana e tentar evitar o racha.

O prefeito Romero Rodrigues é outro que pretende conversar com Cartaxo antes de se definir pelo afastamento ou não do mandato.

Ricardo ameniza o tom

Atual adversário político de Luciano Cartaxo, o governador Ricardo Coutinho já admitiu a possibilidade de diálogo com o prefeito. Coutinho disse, em entrevista à imprensa, que está aberto a conversas com qualquer liderança ou partido que queira construir um projeto comum para o estado.

O governador ainda não anunciou publicamente se vai ou não deixar o cargo para disputar uma vaga no Senado este ano.

Como fica Manoel Junior

Com a permanência do prefeito Luciano Cartaxo no cargo outra dúvida que ainda não foi respondida é como fica o futuro político do vice-prefeito da Capital, Manoel Junior. Para quem há bem pouco tempo contava os dias para assumir a maior prefeitura da Paraíba, o ‘Fico de Cartaxo’ teve um impacto ainda maior.

Desde o anúncio do prefeito em permanecer no cargo, o vice-prefeito se isolou e ainda não conversou publicamente com a imprensa. Cogita-se, nos bastidores, que ele estaria articulando disputar um mandato na Câmara Federal ou até mesmo na Assembleia Legislativa, mas para isso tem que renunciar à vice-prefeitura.

Correio