Governador exonera diretoras da Escola Estadual de Nova Palmeira e Pedra Lavrada-PB

O governador João Azevêdo (PSB) exonerou a diretora da Escola Cidadã Integral Estadual de Ensino Fundamental e Médio Antônio Coelho Dantas, em Nova Palmeira, Sandra de Medeiros Santos e a diretora da Escola Cidadã Integral Estadual de Ensino Fundamental e Médio Graciliano Fontini Lordão, em Pedra Lavrada, Seridó paraibano, Luzia Helena Dantas.

De acordo com informações, a exoneração da diretora da Escola de Pedra Lavrada ocorreu após o possível caso de desvio de verbas da merenda escolar, segundo Luzia Helena, praticado pela ex-coordenadora administrativa financeira (CAF) da escola Séfora Maria Porto de Sousa.

Após denuncia do Prefeito de Pedra Lavrada Jarbas Melo, acusando a gestão da escola estadual de desvio de verba da merenda escolar, a ex-diretora Luzia Helena, confirmou que a escola teve recursos destinados à merenda escolar dos alunos desviados pela coordenadora administrativa financeira da instituição de ensino estadual.

A escola é administrada por um conselho escolar ativo denominado “Trio Gestor”, que é formado por: Gestor, Coordenador Administrativo Financeiro (CAF), Coordenador Pedagógico (CA) e os Coordenadores de áreas, além do presidente do conselho escolar, entretanto, Segundo Luzia, a coordenadora administrativa financeira era quem estava responsável por realizar todas as transações financeiras da escola.

Luzia sustentou que só descobriu os desvios das verbas da merenda após receber cobrança de um dos fornecedores da merenda da escola e ter acesso ao extrato bancário confirmando os desvios financeiros.

De acordo com o extrato em tela, foram realizadas seis transferências dos recursos da escola para a conta privada da coordenadora administrativa financeira Séfora Maria Porto de Sousa que totalizaram R$ 8.706,86 – afirmou a ex-diretora.

As transferências aconteceram na seguinte ordem:

  • 31/07/2019 – 2.000,00
  • 02/08/2019 – 1.000,00
  • 27/09/2019 – 1.200,00
  • 22/10/2019 – 2.000,00
  • 23/10 /2019–     996,86
  • 30/10/2019 – 1.510,00

             Total = R$ 8.706,86

A diretora ressaltou que fez um Boletim de Ocorrência –B.O. na delegacia do município de Picuí para que as providências judiciais fossem tomadas na esperança que os recurso desviados sejam devolvidos para os alunos.

Redação com Anderson Eliziário