A consciência humana

A consciência humana

Carlos Cartaxo

A consciência humana é um navio que circula por mares subjetivos que são de difíceis interpretações. Vários são os fatores que alimentam a consciência humana.O Mais importante é a ética. As possibilidades para um debate profícuo, aqueles em que os leitores acumulam conhecimentos, são muitas, e permitem várias crônicas. Todavia, nesse momento, optei por abordar a questão pelo ângulo da gratidão.

Lembro que na minha infância, quando morava na rua Galdino Pinheiro em Picuí de São Sebastião, ouvia cotidianamente, no horário do almoço e da janta, um pedido que trago comigo até hoje como um “mantra”.Da mesa, ainda desfrutando do paladar da culinária de dona Lindalva, eu ouvia: sobrinha de comida? A repetição daqueles humilhantes pedidosme fizeram pensar que aquilo era algo comum, corriqueiro e normal.

Paralelo ao “mantra” que ficou instalado na minha mente, eu ouvia, quando da minha formação católica, que devemos desejar ao próximo aquilo que desejamos para nós mesmos: o bem. Então,cresci alienado, desinformado quanto ao que trazia comigo.Quando cheguei a fase adulta fui estudar, na universidade, filosofia e cultura grega. Daí entendi que a consciência humana é um componente que precisa de formação. Com muita leitura e refletindo sobre minha formação cristã compreendi que o “mantra”: sobrinha que comida?, era algo que devia ser abolido do meu meio e da face da terra. Quem merece passar fome?Ninguém. Felizmente o governo do PT, em nível federal, tirou mais de três dezenas de milhões de brasileiros da linha de miséria― há quem conteste esse números―. Contudo, as crianças que hoje têm comida em casa e na escola não são mais transmissoras de “mantras” que põe em duvida a valoração da consciência humana.

Essa abordagem é de ordem conotativa porque é subjetiva para muita gente; não obstante me leva à reflexão de que muitas pessoas não percebem que o Brasil avançou para melhor. A visibilidade desse avanço é denotativa porque é percebida em todos os índices quantitativos, reais, de benefício ao povo brasileiro. Portanto, a condução e os interesses políticos, para não dizer politiqueiros, se colocam à frente da máxima cristã de pensar no próximo; e da ética de que a verdade faz parte da consciência humana. Esses procedimentos atrasados são inconsequentese trazem comportamentosinaceitáveis por serem individualistas e oportunistas.

Nesse início de século XXI faz-se necessário que a sociedade perceba que pensar no próximo, principalmente nos humildes e necessitados, é um ato de grandeza e gratidão pela vida; é sabedoria e coerência com a fé cristã.A evolução da humanidadepassa necessariamente pelas ações que alimentam a bondade do ser humano, energia necessária à consciência humana e, consequentemente, à felicidade.