Ato pró-Bolsonaro em Brasília reúne manifestantes em defesa de medidas inconstitucionais

Manifestantes fizeram neste domingo (31) em Brasília um ato a favor do governo Jair Bolsonaro e em defesa de medidas inconstitucionais e antidemocráticas, como o fechamento do Congresso, o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e uma intervenção militar.

Pela Constituição, vigora no Brasil o regime democrático. A Constituição também determina que Congresso e STF fazem parte dos poderes da República e devem ter autonomia.

Os manifestantes desceram pela Esplanada dos Ministérios, a maioria de carro, em direção à Praça dos Três Poderes, onde estão localizados o Congresso, o Palácio do Planalto (sede do poder Executivo), e o prédio do STF. Alguns deles optaram por se concentrar em outro ponto, no gramado em frente ao Congresso.

Bolsonaro usou o helicóptero da Presidência para sobrevoar o ato de apoio a seu governo. Do alto, acenou para os manifestantes.

Depois de o helicóptero pousar, Bolsonaro foi para frente do Palácio do Planalto e, a pé, percorreu o cercado onde se aglomeravam os manifestantes e acenou para os apoiadores.

Em outro momento do ato, Bolsonaro montou em um cavalo da patrulha militar e cavalgou entre os manifestantes, acenando.

MáscarasSem máscara, Bolsonaro percorreu a pé o cercado em frente ao Palácio do Planalto e cumprimentou seus apoiadores — Foto: Reprodução

Parte dos manifestantes também não usava máscara. A multa prevista para quem desrespeitar o decreto é de até R$ 2 mil reais. Também por conta da pandemia, o governo do Distrito Federal não recomenda aglomerações.

O governo do Distrito Federal não informou quais orientações deu às equipes de segurança. Em nota divulgada neste sábado (30), informou que “realizar manifestação é um direito fundamental”, expresso na Constituição.

Faixa em ató pró-governo pede o fechamento do STF, o que é antidemocrático e inconstitucional — Foto: Gustavo Garcia/G1Neste domingo, a Polícia Militar do Distrito Federal divulgou a seguinte nota: “A PMDF informa que atua em apoio aos órgãos de fiscalização e vigilância sanitária, cabendo a estes estabelecer o cumprimento das normas. Não existe previsão de prisão para o descumprimento do uso de máscaras, mas uma aplicação de multa. Cabe destacar que realizar manifestação é um direito fundamental expresso no inciso XVI, do Artº 5, da Constituição Federal.”

Mais tarde, a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) informou que o ato foi monitorado por câmeras de videomonitoramento do Centro Integrado de Operações de Brasília (CIOB), composto por 29 órgãos, instituições e agências do governo.

“A SSP/DF, por meio do CIOB, monitora atos públicos de toda e qualquer natureza, respeitados os limites constitucionais. Além de auxiliar a promoção de ações de segurança pública, o trabalho integrado corrobora com a mobilidade, fiscalização e saúde da população do DF”, diz o texto da nota.

Operação da PF

Nesta semana, causou contrariedade entre os apoiadores mais fiéis do presidente a operação da Polícia Federal, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que segundo eles de forma ilegal e se utilizando o abuso de poder por parte do ministro Alexandre Moraes realizou buscas e apreensões em endereços de empresários e blogueiros ligados a Bolsonaro.

A operação, parte do inquérito das fake news, que apura ameaças e ofensas à Corte, que é de relatoria do ministro Alexandre de Moraes, do STF.

Redação com G1