Ex-deputado prevê Cássio aliado ao PMDB e disputando o Governo da PB.

 

Armando Abílio acertou quando disse que o tucano se aliaria a RC e ‘viu’ vitória de Bandeira.

Conhecido por acertar resultados da política paraibana, o ex-deputado federal Armando Abílio previu, nesta quarta-feira (1) o rompimento do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) com o governador Ricardo Coutinho (PSB) para a disputar do Governo do Estado.

Armando Abílio, que foi ficou conhecido como ‘Mãe Dinah’, por justamente acertar a aliança do tucano com o socialista quando a composição parecia impossível, também diz ‘vê’ o ex-governador aliado ao PMDB que tem como pré-candidato o ex-prefeito de Campina Grande Veneziano Vital do Rêgo e é presidido pelo ex-governador José Maranhão.

Ainda na sua ‘visão’, Armando Abílio ‘aposta’ que Cássio vai disputar o Palácio da Redenção juntamente com um gama de partidos como PPS, PEN, PS, PSD e PTB.

Ainda segundo ele, a composição será eficiente e vencerá a eleição no primeiro turno. “Não haverá segundo turno”, visualiza o suplente de deputado federal em postagem no Twitter.

“Mãe Dinah prevê: Cássio é candidato coligado ao PMDB,PPS,PEN,PS,PSDPTN. Não haverá segundo turno”, escreveu o médico.

Previsões acertadas – Armando Abílio é conhecido na política paraibana por acertar previsões em relação as eleições no Estado. Fato ao qual tem recebido o apelido de Mãe Dinah, em comparação a vidente paulista que ganhou notoriedade ao afirmar que previu o empeachment do presidente Collor e o acidente que vitimou os integrantes da Banda Mamonas Assassinas.

Abílio também acertou ao afirmar a aliança do hoje governador Ricardo Coutinho com o senador Cássio Cunha Lima quando a composição entre o socialista e o tucano era considerada impossível nos bastidores da política paraibana.

No períodio que começava as discussões para as eleições 2012, Armando Abílio também previa o sucesso político do hoje vice-prefeito de João Pessoa que se lançava como pré-candidato a gestor pelo PPS, mesmo sem ter nenhuma popularidade na política e também nunca ter sido testado nas urnas. Abílio garantia que Nonato era o único no bloco político que poderia aglutinar legendas para enfrentar o grupo liderando pelo governador Ricardo Coutinho, a candidatura do senador Cídero Lucena e a do ex-governador José Maranhão. Mesmo não tendo encabeçado a chapa, Nonato Bandeira conseguiu a vaga de vice e junto com Luciano Cartaxo conseguiu vencer os outros três grupos considerados fortes.

 
MaisPB